Vereadores de Canaã cobram explicação do SINE e da Vale sobre contratação de trabalhadores

Para os parlamentares, a maioria das vagas de emprego ofertadas pela mineradora no município está sendo ocupada por pessoas de fora.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Durante a sessão ordinária desta terça-feira (17), o vereador Wilson Leite (Podemos) questionou a disparidade dos números da oferta de empregos no município e da contratação da mão de obra local pela mineradora Vale. Para alguns parlamentares, o Sistema Nacional de Emprego (SINE) do município estaria priorizando pessoas que não moram em Canaã para ocupar as vagas.

“Os noticiários nacionais nos diz que a segunda etapa, vou chamar assim porque não tenho conhecimento do nome correto, já produziu quase 3 mil empregos em Canaã dos Carajás. E o registro que temos pelo SINE é que pouco mais de 500 pessoas da cidade conseguiram emprego na Vale”, questionou Wilson Leite. O vereador ainda cobrou do SINE uma resposta sobre como as pessoas que moram fora de Canaã conseguiram a “carta” do órgão para serem contratadas pela Vale.

O assunto repercutiu entre os vereadores, que usaram a tribuna para cobrar da Vale e do SINE as informações sobre geração de emprego e renda no município. O vereador Chefinho (PL) ressaltou que a mineradora é a empresa que mais arrecadou recursos com a exploração do minério em Canaã. “Vamos chamar a Vale para um debate. Vamos querer que ela nos ajude a diminuir o impacto social no município”, disse Chefinho.

Segundo o vereador Cleverson Zajac (MDB), já estaria sendo feito um levantamento sobre os números de emprego em Canaã e a Câmara irá encaminhar ofícios aos órgãos envolvidos e a Vale para se explicarem. “Não podemos permitir que os cidadãos de Canaã sejam prejudicados por alguma coisa que não esteja de acordo com a lei”.

A vereadora Maria Pereira (PL) citou relato de trabalhadores que apesar de qualificados, não estariam sendo absorvidos pelas vagas criadas no município. “Jamais podemos barrar a chegada de pessoas em nosso município, mas nós não podemos esquecer da nossa base. Nós não podemos ter nos cofre público e nos cofre das empresas, a cidade mais rica do mundo e na realidade, o povo de Canaã passando fome”, disse a vereadora.

O tema também foi debatido entre os vereadores Antonio do Lanche (PSD), Flávio Gomes (PROS)e Webert Felipe (PDT).

Resposta

A Vale encaminhou ao Blog Zé Dudu uma nota onde ressalta que a contratação de profissionais depende do cronograma da obra, da disponibilidade da vaga e da qualificação técnica. Confira abaixo a nota na íntegra:

“A Vale prioriza mão de obra local em suas operações e em seus projetos de expansão. E também orienta suas empresas contratadas a seguirem da mesma forma.

Esta prioridade é premissa de interesse para qualquer empreendimento, isto porque dinamiza a economia da região e gera desenvolvimento local. Cabe ressaltar que todo processo de contratação varia conforme o cronograma das obras, da disponibilidade de vagas e da qualificação técnica exigida para o cargo.”

Tentamos contato com a direção do Sine em Canaâ dos Carajás, mas até o fechamento desta reportagem não tivemos retorno do órgão.

Por Dayse Gomes