Vereador aponta 16 obras paralisadas em Marabá e pede solução

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Por Paulo Costa – de Marabá

O vereador Pedro Correa Lima, o Pedrinho Correa (PTB), de Marabá, apresentou à imprensa e seus colegas um relatório de 16 obras do município que estão paralisadas e pediu ao governo para retomá-las o mais rápido possível, ressaltando que a comunidade aguarda para ser beneficiada por elas. Ele lembra que já se passaram oito meses do atual governo e algumas dessas obras iniciaram há mais de cinco anos e nunca foram concluídas.

Pedrinho começou mostrando imagens de uma quadra esportiva na Folha 21, Nova Marabá, que foi iniciada há três anos e nunca foi concluída. Depois, passou para o Hospital Municipal, onde lamentou que o centro cirúrgico esteja fechado desde 2010, o que considera um acinte contra a comunidade como um todo, com algumas pessoas até mesmo perdendo a vida porque não tiveram a oportunidade de passar por uma cirurgia. Em seguida, Pedro Correa passou para a obra do Estádio da Folha 16, iniciada na gestão de Sebastião Miranda, mas que depois acabou sendo transferido para o Km da Rodovia Transamazônica. Todavia, a primeira obra ficou nas fundações e esquecida. Ele disse que sugeriu ao governador Simão Jatene para que peça a área para o município para construir ali uma escola técnica.

A quarta obra paralisada é a do CAPS AD (Centro de Acompanhamento Psicossocial Álcool e Droga). O vereador lamenta que os entraves burocráticos impeçam a atual gestão de concluir a obra e disse que é preciso agir com celeridade para que esses problemas sejam solucionados e o espaço inaugurado e que as centenas de pacientes dessa área sejam atendidas.

Campeã de paralisação
De todas as obras municipais paralisadas, uma das mais emblemáticas é a da passarela em frente ao INSS, na Rodovia Transamazônica, que havia iniciado na gestão anterior, mas que chegou a paralisar seis vezes, a última já na atual administração. “O trânsito fica congestionado naquele perímetro no horário de pico e o risco de acidentes é iminente, principalmente envolvendo crianças que vão para a escola e idosos que procuram o INSS”, lembra Pedro Correa. Ali ao lado, a obra da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) também tem sua obra paralisada e espera para ser concluída. O secretário de Saúde, Nagib Mutran, informou esta semana que ganhou do Ministério da Saúde um prazo de um ano e meio para entregar a obra.

Vai ao chão
A Escola Cristo Rei, no Bairro Jardim União, que começou a ser construída há seis anos e nunca foi concluída, parece que tem mesmo uma cabeça de burro enterra no local. O vereador Pedro Correa mostrou fotos da obra que estão paralisadas e lamentou que o período de leniência fez com que salteadores roubassem parte dos materiais adquiridos com recursos públicos.

Em resposta sobre essa obra específica, o vereador Pedro Souza, líder do governo municipal na Câmara, informou que foi identificado um problema grave e insanável na fundação e um laudo preliminar aponta que ela terá de demolida para construir tudo do zero. “Perdeu-se tudo que foi construído”, lamentou Souza.

Outras obras paralisadas e apontadas pelo vereador Pedro Souza são o Estádio Municipal de Marabá, Campo do Parque São Jorge, Núcleo de Educação Infantil Marlúcia, na Folha 6, Nova Marabá; Mercado Municipal de Morada Nova; Ginásio Poliesportivo de Morada Nova; Escola Fé em Deus, em Morada Nova; Praça do Sonho, em São Félix; Escola Francisca de Oliveira, na Folha 34; e a escola Miriam Moreira, na Folha 7.

O vereador Pedro Souza garantiu que as obras do HMM foram retomadas esta semana e que 26 funcionários estão trabalhando no local, assim como no NEI Marlúcia. Sobre o CAPS AD, argumentou que a prefeitura não tem como realizar obra agora porque há problema de medição que foi deixado pela gestão anterior e que está sendo avaliado como será solucionado o impasse.

Em relação à Escola Fé em Deus, disse que construíram o prédio em terreno que não é da Prefeitura e que o governo está analisando se faz desapropriação ou devolve a área para Associação de Moradores de Morada Nova. “A Semed vai entregar planilha das obras paralisadas à Câmara na próxima semana, inclusive com data para retomada de cada uma delas”, garantiu o líder do governo.

Publicidade