Vale vai aplicar R$ 111 milhões em eficiência ferroviária em Carajás

Investimentos estão previstos no corredor entre Parauapebas e Canaã dos Carajás visando ao aumento em 10 milhões de toneladas por ano da capacidade nominal transportada pela EFC.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Em meio ao sai e não sai da renovação antecipada da concessão da Estrada de Ferro Carajás (EFC) para uso da mineradora multinacional Vale, uma notícia anima a empresa. Nesta quarta-feira (17), o Ministério da Infraestrutura, por meio da Secretaria de Fomento, Planejamento e Parcerias, publicou no Diário Oficial da União (DOU) a aprovação do enquadramento no Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento da Infraestrutura (Redi) de um projeto proposto pela Vale para turbinar a capacidade integrada transportada sobre os trilhos da EFC.

No escopo do projeto, a Vale indica implantar o pátio 1, que consiste na construção de um pátio de cruzamento ferroviário, com extensão total de 4,01 quilômetros e entrevia de 5 metros, com início no Km 11 e final no Km 15 do Ramal Ferroviário Sudeste do Pará (RFSP), interligação da Estrada de Ferro Carajás (EFC) com a mina de S11D. E sinaliza expandir a pera ferroviária, construindo 9 quilômetros de linhas férreas na pera do ramal ferroviário, sendo 6,5 Km de duas linhas novas pelo pátio de recepção, 1,8 Km do complemento da linha 3 pelo pátio de formação e 700 metros do prolongamento do desvio de carga geral. Os investimentos previstos totalizam R$ 111.660.951,43.

O Blog consultou o Ministério da Infraestrutura e constatou que o processo da mineradora começou a tramitar na pasta em 12 de maio, ganhando celeridade em velocidade da luz a partir de 4 de junho, por meio de um parecer positivo da Coordenação-Geral Jurídica de Transportes Terrestres do ministério.

Conforme a portaria publicada hoje no DOU, a Vale terá de informar à Secretaria de Fomento, Planejamento e Parcerias quando da conclusão do projeto ou do pedido de cancelamento da habilitação ou coabilitação, no prazo de 30 dias, a contar da conclusão ou do pedido de cancelamento.

Publicidade