Universitários de Parauapebas realizam o projeto “saúde com movimento”

Continua depois da publicidade

Por Fábio Relvas –  Da Redação

Um grupo de estudantes de uma faculdade particular de Parauapebas, sudeste do Pará, está realizando um projeto para atender as necessidades da população da cidade. Trata-se do projeto “saúde com movimento”, onde os universitários realizam cuidados com a saúde das pessoas que são atendidas por profissionais da área.

“O projeto foi retirado da sala de aula e colocado em prática. Ele foi elaborado documentalmente e hoje ele está sendo praticado aqui na praça de eventos. Nós estamos trazendo este projeto aqui para o povo de Parauapebas com o objetivo de fazer a população praticar mais esportes, como corrida, bicicleta. Na verdade trazer mais saúde para a população”, afirmou Maurício Souza, universitário e um dos coordenadores do projeto.

A estrutura está montada na praça de eventos que fica localizada no bairro Cidade Nova. As consultas são gratuitas e as pessoas podem utilizar serviços como: aferição da pressão arterial, teste de glicemia, teste de IMC (que mede o índice de massa corporal), além de palestras e cuidado com a beleza. “Fiz uns exames e minha saúde está mais ou menos, está balanceada. Prometo realizar mais exercícios físicos para melhorar a saúde” disse Iramir Lima, dona de casa.

Segundo os universitários, o principal objetivo do projeto “saúde com movimento” é conscientizar a comunidade de Parauapebas a respeito de como se ter a saúde em dia, mais plena e consequentemente uma vida mais longa. Os esportistas da cidade também estão aproveitando a oportunidade para se cuidar. “Quase todos os dias eu pratico o Jiu-Jitsu. Hoje passei para pegar o exame cardíaco e aproveitei para fazer o teste de glicemia e estou satisfeito. Todos os dias passo por aqui”, declarou Régis Santos, atleta de Jiu-Jitsu.

1 comentário em “Universitários de Parauapebas realizam o projeto “saúde com movimento”

  1. Francesco costa Responder

    Tomara que o prefeito Valmir Mariano entenda que uma pedra fundamental não é como um caroço de manga que a gente enterra, a natureza rega e a mangueira nasce e produz frutos.
    No caso de obra pública é preciso construir.
    Espero que, a exemplo do Restaurante Popular cuja pedra fundamental foi “plantada” há mais de um ano e ainda não nasceu, ele construa a obra do Propaz.

Deixe seu comentário

Posts relacionados

%d blogueiros gostam disto: