Tucuruí faz compra emergencial para socorrer unidades de saúde

Dispensa de licitação para fazer restauração da rede municipal de saúde foi orçada em R$ 3,35 milhões, mas ficou 13% mais em conta; almoxarifado tinha estoque ‘respirando por aparelhos’.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

De olho no coronavírus, que não dá trégua e já fez 153 vítimas fatais na capital da energia, conforme atualizado pelo Blog do Zé Dudu ontem (3) (relembre aqui), a Prefeitura de Tucuruí entrou o ano comprometida em realizar uma aquisição de diversos medicamentos, insumos e materiais técnicos para abastecer as unidades de saúde do município de 117 mil habitantes.

A compra foi fechada ontem e saiu vantajosa para a administração municipal, que inicialmente previu gastar R$ 3,35 milhões, mas conseguiu finalizar o pacote em R$ 2,905 milhões, gerando economia de 13,28% aos cofres do município. Os recursos para bancar a dispensa de licitação vão sair do Fundo Municipal de Saúde (FMS). As informações foram levantadas pelo Blog.

São, ao todo, 440 itens comprados de forma emergencial porque, de acordo com a prefeitura, o almoxarifado central está com estoque zerado e, por isso, sem condições mínimas de fornecer insumos para garantir a realização adequada de atendimento a pacientes. Nesse pacote comprado na quarta estão medicamentos de uso paliativo no tratamento da Covid-19, como analgésicos, antitérmicos, corticoides e antibióticos.

Em novembro do ano passado, a prefeitura, sob outro comando, tentou fazer uma compra similar, via pregão, no valor de R$ 11,91 milhões para comprar o dobro de itens, mas o processo acabou revogado sob alegação de “readequação e ajuste da planilha do termo de referência”.

Este ano a atual administração já comprou, por dispensa, de forma emergencial, R$ 2,699 milhões em combustíveis para abastecimento da frota oficial e botou na rua licitações na modalidade pregão para compra de mais combustíveis (R$ 12,875 milhões), para locação de maquinário e veículos pesados (R$ 7,029 milhões) e para aquisição e recarga de gás de cozinha (R$ 800 mil).

Vale lembrar que o município de Tucuruí tem as finanças complicadas, com grau elevado de comprometimento da receita líquida com pessoal, e sua prefeitura vinha ao longo dos anos se deteriorando, com perda de capacidade econômica e monetária para tocar grandes obras e serviços. Em 2020, a arrecadação líquida totalizou cerca de R$ 310 milhões e deixou de estar entre as dez maiores do Pará, perdendo o posto para Paragominas e Altamira.