Transparência Pública será tema de conferência em Parauapebas

Continua depois da publicidade

faixa banner Começam nesta segunda-feira, 16, as inscrições para a 1ª Conferência Municipal sobre Controle e Transparência Social. Realizada por meio de uma parceria entre Governo Federal e Prefeitura de Parauapebas, a conferência tem o objetivo de promover a transparência pública e estimular a participação da sociedade no acompanhamento e controle da gestão pública. A ideia é contribuir para um controle social mais efetivo e democrático.

As inscrições vão até o dia 20 de janeiro, sexta-feira, e podem ser realizadas nos postos localizados no Centro Universitário de Parauapebas – CEUP, na Casa do Cidadão, no Centro de Referência em Assistência Social – CRAS do Bairro Altamira e no Unique Shopping Parauapebas, entre 15h e 21h. A conferência ocorre nos dias 30 e 31 de janeiro, no Centro Universitário de Parauapebas e conta com uma programação que envolve paineis de contextualização, debates, grupos de trabalho, eleição de delegados e propostas a serem encaminhados para a conferência estadual.

Serviço
1ª Conferência Municipal sobre Transparência e Controle Social
Inscrições:
Data: 16 a 20 de janeiro
Locais: Centro Universitário de Parauapebas – CEUP, Casa do Cidadão, Centro de Referência em Assistência Social – CRAS do Bairro Altamira e Unique Shopping Parauapebas
Horário: 15:00 às 18:00 horas
Conferência:
Data: 30 e 31 de janeiro
Local: Centro Universitário de Parauapebas – CEUP
Horário: 8:00 horas

Fonte: ASCOM

7 comentários em “Transparência Pública será tema de conferência em Parauapebas

  1. Vicente Reis Responder

    Na verdade, essa conferência é uma demanda nacional. Esse ano será realizada a 1ª versão nacional desta conferência. Assim, sendo, etapas estaduais e municipais se fazem necessárias.

    E esse tipo de ação segue uma tendência mundial, que vem, tardiamente, aparecendo no Brasil. Como em quase tudo, o Brasil tem uma boa legislação nessa área, o que falta é regulamentação.

    O Portal da Transparência é um bom exemplo. Por lá, é possível saber que foram gastos em 2011, incríveis R$ 25.862.214,94 na obra (eterna) do Hospital em pagamentos de Empenhos para a DECOL DECORAÇÕES ENGENHARIA E COMÉRCIO LTDA, CNPJ: 04.944.740/0001-37, empresa “responsável” pela obra citada.

    Essa ferramenta possui todos os dados e é um avanço? Sim, certamente. Mas também é um engodo, em que um finge que presta contas e outro finge que fiscaliza.

    No caso acima, foram 30 empenhos para a DECOL, o que é fácil de visualizar, mas mesmo assim, ainda perdi alguns minutos anotando a mão (!) os números para somá-los. É isso mesmo, o sistema não gera totalizadores nem faz nenhum tipo de exportação. Ou seja, não vou chamar de inútil, mas é quase. Ou alguém tente me dizer por lá, a arrecadação do IPTU em 2011. São centenas de páginas para serem lidas, para “pinçar” esses números, quando seria bem simples fazer totalizadores por Centros de Custos, se houvesse interesse, claro.

    É importante esclarecer a população que o governo, divulgar seus dados, não é favor. Está previsto em lei! O que devemos é pedir que esses dados venham de forma pelo menos utilizáveis para que a sociedade livre possa analisá-los e usá-los como achar que deve.

    Essa Conferência é um avanço para que se discutam novas formas de controle da sociedade civil e dispositivos de transparência na administração pública.

    Eu estarei lá, propondo e discutindo. Estejam vocês também! Com o advento da internet, uma enorme gama de opções se abre nesse campo. Já existem diversos projetos muito interessantes nessa área, como o Legisdados, que visa espelhar os dados de tramitação de leis na Câmara Federal e no Senado, projeto da galera do Estudio Cromática, filiados à comunidade Transparência Hacker, que trabalha com projetos que utilizem a tecnologia para fins de interesse da sociedade.

    Outra ferramenta muito doida é a DEPUTADOS ANALYTICS, um projeto que visa analisar as estatísticas dos deputados e gerar rankings mais compreensivos pela comunidade em geral, com base nos dados disponíveis na página do congresso nacional.

    Essas ferramentas todas (e dezenas de outras mais), são iniciativas de grupos livres (hackers) que fazem o que deveríamos esperar do Governo: abrem os dados públicos de uma forma compreensível para a comunidade.

    Isso só foi possível a partir das implementações de Legislação específica, um grande avanço sim, mas pouco para garantir acesso real às informações.

    No mundo todo, muitas coisas têm acontecido nesse sentido. Vários governos inclusive promovem concursos para que programadores do mundo inteiro desenvolvam soluções para problemas específicos, utilizando dados abertos. O Brasil já fez isso também, especialmente em São Paulo.

  2. Sol Poente Responder

    . . .Olá Senna, vc disse que é uma atitude corajosa. MENTIRA.
    Estão fazendo aquilo que todo politico faz, vai de encontro a sociedade através de propostos como esta, o que acontece? Como existe uma proposta aparentemente honesta, a roubalheira, a sacanagem, a malandragem, o roubo propriamente dito fica acobertado com esta atitude, que para você, É CORAJOSA. NÃO É ATITUDE CORAJOSA, É UMA VERGONHA MESMO. Votei no Darci, no PT, mas não votei nos ladrões que hoje estão no poder.

  3. Senna Responder

    O evento representa acima de tudo uma atitude positiva e corajosa do governo municipal. Agora é só participar para ver de perto e aprender como fisalizar o poder público no cotidiano.

Deixe seu comentário

Posts relacionados

%d blogueiros gostam disto: