Thiego Marques está perto de ser convocado para as Paralimpíadas de Tóquio 2021

O judoca de Parauapebas iniciou carreira na escolinha de modalidades da Semel
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Os Jogos Paralímpicos de Tóquio, que iriam acontecer em 2020, já têm data definida pelo Comitê Olímpico Internacional (COI), Comitê Organizador de Tóquio, Governo Japonês e o Comitê Paralímpico Internacional (IPC). O evento ocorrerá de 24 de agosto a 5 de setembro de 2021, e poderá receber o judoca paraense Thiego Marques como um dos grandes nomes durante as competições.

Nascido com albinismo, alteração genética caracterizada pela baixa síntese de melanina e que pode causar alterações na pele, cabelos e olhos, o judoca desenvolveu deficiência visual, o que não o impediu de lutar por seus objetivos e conquistar um currículo admirável.

Sua história com o esporte teve início em 2011, quando, aos 12 anos de idade, ingressou no Projeto Judô Solidário, iniciativa da Prefeitura de Parauapebas por meio da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Semel), na qual estudantes de 7 a 17 anos têm a oportunidade de receber suas primeiras lições de iniciação esportiva em diversas modalidades. Sua mãe, Dona Cláudia, foi a grande responsável pelo ingresso de Thiego e, orgulhosa, se emociona ao compartilhar a jornada do filho: “No início, não imaginava que meu filho fosse chegar tão longe. Quando procurei a Semel, lá no Ginásio Poliesportivo, na tentativa de ajudar meu filho a enfrentar o bullying na escola, foi onde conheci esse projeto da Prefeitura”.

Segundo Leandro Gambeta, secretário municipal de Esporte e Lazer, cerca de 5 mil crianças e jovens por ano recebem apoio para praticar esportes, sem nenhum custo às famílias. “Embora uma nova filosofia de trabalho esteja sendo preparada para quando retornarmos às atividades esportivas pós-pandemia, a Semel vai manter o que tem dado certo. Somos uma secretaria de referência nacional, e Thiego hoje é um exemplo de que a escolinha é um grande projeto,” pontuou.

Ainda enquanto aluno da Semel, em 2011 e 2012, foi campeão dos Jogos Escolares Nacionais. Após atingir rendimento considerado de um atleta profissional, Thiego Marques manteve sua caminhada ao lado do homem que descobriu seu talento para o judô – Antônio Sérgio, seu professor desde os tempos da escolinha, ainda é um dos responsáveis por preparar o atleta para as grandes competições.

Foi na Associação Esportiva e Paradesportiva do Sul e Sudeste do Pará (AEPA) onde o atleta passou a treinar profissionalmente, até ser convidado pela Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais (CBDV) para compor a Seleção Brasileira de Judô Paralímpico. “Ao longo de dez anos fomos construindo bases sólidas para encarar grandes desafios. Thiego sabe usar muito bem as técnicas exigidas nos tatames mundiais e eu creio que vamos ter bons resultados no final dessas Paralímpiadas,” afirmou Antônio Sérgio.

Por questões de preparação, Thiego passou a morar em São Paulo, onde também cursa fisioterapia e tem a chance de treinar táticas específicas no Centro de Treinamento Paralímpico do Palmeiras, mas sempre que pode vem a Parauapebas, sua cidade natal, para visitar a família. 

Atualmente, o atleta integra a Seleção Brasileira Paralímpica, já tendo representado o Brasil nos Estados Unidos pelo Mundial de Jovens, nos Jogos Parapan-Americanos de Lima, no Peru e na Copa do Mundo da Federação Internacional de Esportes para Cegos de Judô Paralímpico (IBSA), no Uzbequistão. Ainda participou do Judo Americas Championship, considerado o torneio pan-americano da modalidade, realizado no Canadá, além de várias outras competições que lhe garantiram bons resultados. Com a chegada da pandemia, fevereiro de 2020 foi a última vez que pisou nos tatames pelo Aberto da Alemanha, na cidade de Heidelberg. 

Aos 22 anos de idade, Thiego vive um dos melhores momentos da sua carreira e se prepara para uma convocação histórica. Garantir a participação na Paralimpíada de Tóquio, o sonho de muitos atletas que fazem parte do cenário esportivo das artes marciais, e competir no Japão, é como receber um selo de herói pela modalidade de origem oriental. Se for campeão, o jovem se consagrará como referência mundial na categoria Ligeiro 60 kg. 

Agora o seu grande desafio será vencer duas Copas do Mundo de Judô: a primeira acontecerá no Azerbaijão, entre 20 e 27 de maio, e a segunda na Inglaterra, entre 18 e 20 de junho. Os resultados dessas competições poderão garantir sua classificação para o Japão, mas ele precisa ficar entre os 12 classificados no Ranking Mundial. “Só peço a Deus proteção, aos que acreditam no judô que orem por mim, porque será um orgulho honrar meu país lá do outro lado do mundo,” agradece Thiego Marques.

Por Cleidi Rodrigues
Publicidade