Tentou atirar na Polícia Militar e morreu fuzilado

Gustavo Santos Barros, o "Guga", é suspeito de dois assassinatos ocorridos em junho passado e acusado de vários outros crimes

Continua depois da publicidade

Acusado de vários crimes em Parauapebas, Gustavo Santos Barros, o Guga, morreu com um tiro de fuzil calibre 5,56, no peito, ao apontar uma pistola 7,65mm a uma guarnição da Policia Militar. O fato se registrou manhã desta sexta-feira (1º), na Rua Clara Nunes, Bairro Guanabara.

Consta em Boletim de Ocorrência registrado na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, que uma guarnição da PM fazia patrulhamento tático pela Rua Clara Nunes, área considerada local de crimes, inclusive de tráfico de drogas, quando um grupo de pessoas, ao avistar o veículo policial, descartou uma sacola de plástico e se dispersou.

Menos Guga, que correu e entrou em uma casa, tendo a guarnição entrado atrás dele, que sacou da arma e apontou aos policiais militares. Ainda segundo o BO, diante do iminente disparo, um dos integrantes da equipe, um cabo, atirou em Gustavo.

Ele morreu ao dar entrada no Hospital Municipal, após ter sido socorrido por uma ambulância do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

Na sacola plástica jogada foram encontrados 8,3 gramas de crack e 49,8 gramas de maconha. Gustavo Santos Barros, respondia por vários crimes e é suspeito de ter participado do assassinato da jovem Vitória Dias da Silva, em 12 de junho, no Bairro Beira Rio 2; e na execução de Thiago da Silva Sousa, de 23 anos, no último dia 26, na Rua Maranhão, Bairro Liberdade 1.

(Caetano Silva)