Suspeito de participação em chacina chega a Parauapebas após ter sido preso no Tocantins

No último dia 16 ele escapou de cerco da Polícia Militar e sumiu de Parauapebas, mas a Polícia Civil investigou e levantou que ele havia fugido para Colinas do Tocantins e, de lá iria para Goiás
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Marcone de Jesus da Silva, 28 anos, já está preso na cela de transição da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil de Parauapebas. Ele é suspeito de ter sido um dos assassinos de cinco jovens, quatro homens e uma mulher, no último dia 12, e foi preso na terça-feira (21), em Colinas do Tocantins, quando se preparava para prosseguir em fuga rumo ao Estado de Goiás. Na noite de ontem, por volta das 20h30, o delegado Élcio Fidélis de Deus, acompanhado dos investigadores Márcio Bauru e Rafael Leal, chegaram a Parauapebas trazendo Marcone.

Entretanto, conforme informações recebidas pela Reportagem do Blog, Marcone da Silva não foi preso, ainda, por participação na chacina, mas por força de Mandado de Prisão, pelo assassinato de Ezequiel de Jesus Soares Brilhante, de 24 anos, quando ele aparece, em vídeo divulgado em grupos de WhatsApp, com o coração da vítima nas mãos, ainda pulsando. Em seguida, Marcone fatia o órgão.

No último dia 16, Marcone foi identificado e perseguido por uma guarnição da Polícia Militar, em Parauapebas, mas, enfrentou os policiais a bala, se embrenhando em seguida no mato e desaparecendo da cidade.

A Polícia Civil então, em intensas investigações, levantou que que ele havia fugido para o Estado do Tocantins e estaria se dirigindo a Goiás, e pediu ajuda à Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Uma equipe da PRF, então, se dirigiu a Colinas (TO), onde identificou um carro em que Marcone estava fugindo. Além dele, no veículo estavam o motorista, uma mulher e uma criança. O condutor se identificou como motorista de táxi por aplicativo e disse que foi contratado para levar o casal e a criança a Goiás.

Com a mulher que acompanhava Marcone foi encontrada uma trouxinha de maconha, tendo sido ela enquadrada por porte de droga para consumo próprio. O motorista do automóvel foi ouvido como testemunha. Ambos foram liberados em seguida.

A chacina

Thawanne Dias de Jesus, 22 anos, mãe de dois filhos. Antônio Carlos Chaves Souza, Felipe Silva de Carvalho, Jefferson Santos de Andrade e Marcos Antônio de Oliveira Andrade estavam desaparecidos desde o dia 12, um domingo. As últimas imagens deles, em vida, foram registradas por uma câmera de vigilância, mostram os cinco entrando em uma caminhonete S-10, no Bairro Liberdade.

Três dias depois, na tarde do dia 15, os corpos dos cinco foram encontrados em uma área de mata do Bairro Vila Nova, após a nova linha férrea, em Parauapebas. Todos estavam com as mãos e os pés amarrados e foram assassinados com golpes de faca na garganta.

ATUALIZAÇÃO

Preso passa mal e polícias cercam HMP após notícia de tentativa de resgate

Na manhã desta quinta-feira (23), Marcone de Jesus da Silva se sentiu mal na cela de transição da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil e teve de ser medicado no Hospital Municipal de Parauapebas, a fim de receber atendimento médico.

No mesmo instante, circulou a notícia de que integrantes da facção criminosa da qual ele faz parte tentariam resgatá-lo.
Imediatamente, homens da Polícia Militar, Polícia Civil e Guarda Municipal de Parauapebas cercaram a casa de saúde e, após o atendimento, o escoltaram até a Cadeia Pública.

(Caetano Silva)