Sespa divulga novo balanço da dengue no Estado

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Por Mozart Lira –  SESPA

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) divulgou, nesta segunda-feira (09), o Informe Epidemiológico Nº 12/2012 da situação da Dengue no Estado. Até agora, foram notificados 12.508 casos suspeitos da doença, dos quais 4.048 casos confirmados com a seguinte classificação final: 4.026 casos de dengue clássica (DC), 16 de dengue com complicação (DCC), 5 de febre hemorrágica da dengue (FHD) e 1 caso de síndrome do choque da dengue (SCD).

Os municípios com maior número de casos notificados são: Parauapebas (1.912), Belém (1.891), Marabá (1.046), Altamira (690) e Ananindeua (624). Em relação aos casos confirmados, os municípios com maiores registros são Parauapebas com 1.292, Belém com 639, Altamira com 601 e Ananindeua com 405 casos. No que tange aos óbitos por dengue, existem dois casos confirmados no Estado: um de Parauapebas e outro de Altamira. Sete ainda estão em investigação no Estado.

Comparativo – Em relação ao mesmo período de 2011, houve uma diminuição do número de casos da doença no Estado. Na época, de um total de 17.919 casos suspeitos,  foram confirmadas 9.755 pessoas acometidas de dengue, além de seis óbitos, sendo 2 de Belém, 1 de Bom Jesus do Tocantins, 1 de Oriximiná, 1 de Santarém e 1 de Xinguara.

Essa diminuição do número de ocorrências da doença deve-se ao trabalho intensivo da Sespa articulado com seus 13 Centros Regionais de Saúde e mais as Secretarias Municipais de Saúde, enfatizando a importância da notificação de casos suspeitos e permitindo ações imediatas de controle vetorial pela Vigilância Epidemiológica.

Os municípios que estão registrando maior número de notificações têm sido orientados a identificar os bairros e ruas com ocorrências, para realizar as ações de combate aos focos do mosquito Aedes aegypti.

As principais ações que vêm sendo desenvolvidas são bloqueio imediato da transmissão nas localidades ou bairros que notificam casos, atividades de educação e comunicação, visando a sensibilização da população, órgãos governamentais e não governamentais para o problema; articulação com órgãos municipais de saneamento e limpeza urbana para melhoria da coleta e destinação adequada do lixo; e manutenção das atividades de rotina no combate ao vetor.

Com o aumento das chuvas, é importante que a população intensifique os cuidados para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti em recipientes, vasilhames, calhas, piscinas e caixas d’água, por exemplo, além do cuidado com o lixo em quintais e jardins, uma vez que o mosquito da dengue pode se reproduzir até numa casca de ovo ou tampinha de refrigerante.

Entre as atividades realizadas este ano, a coordenadora estadual de Controle da Dengue, Aline Carneiro, destacou a avaliação das atividades de controle da doença nos municípios de Marabá, Parauapebas, Salinópolis e Santa Luzia do Pará. “Além disso, foram realizadas ações de mobilização e avaliação do Plano de Contingência em 56 municípios do Estado no período de 14 de fevereiro a 4 de abril”, acrescentou a coordenadora.