S11D completou hoje três anos de operação

Implantado em 2016 no município paraense de Canaã dos Carajás, o S11D é considerado o maior empreendimento minerário da década.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Canaã dos Carajás, Pará (PA), Brasil, 13/06/2017 - Vista aérea do Complexo S11D Eliezer Batista. Sistema Truckless. As máquinas Belt (a maior) e BWM (escavadora) Foto: Ricardo Teles

Continua depois da publicidade

Nos últimos três anos (2017 até outubro de 2019),  as operações do S11D somadas ao Sossego geraram o recolhimento de R$ 1,6 bilhão aos cofre públicos, considerando os principais tributos e a Compensação Financeira pela Exploração Mineral (CFEM). Considerado o maior empreendimento minerário da década, a unidade do S11D, implantado em 2016 no município paraense de Canaã dos Carajás, fez hoje aniversário de três anos de operação.

No município, as minas de cobre (Sossego, implantado em 2004) e de ferro (S11D) empregam hoje 4 mil trabalhadores diretos nas operações. A cidade também expandiu. Segundo o secretário de Planejamento do município, Gean Meirey, prefeitura e mineradora tem atuado em parceria. “Vejo a Vale, através do projeto S11D, como um dos parceiros mais fortes que nós temos aqui na cidade de Canaã dos Carajás, a gente reconhece o trabalho que tem sido construído junto entre município e empresa e esperamos continuar a fortalecer tudo isso no futuro ainda mais, para que a gente consiga trazer para nossa sociedade avanços ainda maiores, uma vez que projetos com essa magnitude trazem impactos para a sociedade”.

Entre as parcerias realizadas, Geam destaca a reforma do hospital público. “A reforma e ampliação dos investimentos que foram feitos nos equipamentos e na implantação de mais dois centros cirúrgicos foi de importância significativa para a saúde de Canaã dos Carajás, como em todo”, destaca o secretário. A atenção à saúde básica do município foi reconhecida pela Organização Mundial de Saúde (OMS). O repasse do antigo canteiro de obras da Vale à Prefeitura Municipal permitiu que o município investisse em um polo industrial e educacional, a fim de diversificar a economia. Também foi realizada a reforma e construção de oito escolas no município.

Arrecadação aos governos chega a R$ 1,6 bilhão

Somando Contribuição Financeira pela Exploração Mineral (CFEM), Imposto sobre Serviços (ISS), Imposto sobre Circulação de Mercadorias (ICMS), a Taxa paga para o Controle e Fiscalização das Atividades de Exploração Mineral (TFRM) e a Taxa por uso de Recursos Hídricos (TFRH) foram repassados R$ 1,6 bilhão de 2017 a outubro de 2019 aos cofres públicos.

Ao comparar os primeiros dez meses de 2019 com o primeiro ano de operação (2017) do S11D, a CFEM gerada é oito vezes maior. A TFRM repassada ao Estado aumentou de forma exponencial, passou de R$ 1,2 milhão em 2017 para R$ 144 milhões em 2019 (dados até outubro), total 119 vezes maior.  

Publicidade