REFORMA ORTOGRÁFICA

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Entenda a reforma ortográfica da língua portuguesa.
Saiba o o que pode mudar com o acordo que unifica o idioma nos países lusófonos. Acordo internacional pretende unificar os textos escritos em oito países.

Alfabeto: o “K”, o “w” e o y” entram no alfabeto, que passa a ter 26 letras.
Trema: o trema desaparece nas palavras em português. Só fica em palavras estrangeiras, como “Hübner” e “Müller”.
Acento agudo: o acento agudo desaparece em ditongos abertos “ei” e “oi” em palavras como “idéia” e “heróico”, que ficariam “ideia” e “heroico”.
Acento Circunflexo: o cento circunflexo desaparece em palavras com o duplo “o” e o duplo “e”, como “vôo” e “enjôo” (que se transformam em “voo” e “enjoo”), e “crêem”, “lêem”, “dêem” e “vêem”, que passam a ser escritos como: “creem”, “leem”, “deem” e “veem”.
Acento diferencial: some o acento agudo ou circunflexo que serve para diferenciar palavras como: pára (do verbo parar) ≠ para (preposição) → para.
Hifen: o hífen some quando o segundo elemento da palavra começar com “s” ou “r”. Então, essas consoantes devem ser dobradas, como em “antissemita” (atualmente “anti-semita”), “antirreligioso”” (atualmente “anti-religioso) e “contrarregra” (atualmente “contra-regra”). Exceção: quando os prefixos terminam em “r” se mantém o hífen. Como em “hiper-requintado”, “super-resistente”.
Portugal: cerca de 1,6% das palavras são alteradas. Os portugueses deixarão de escrever “húmido” e usarão úmido. As consoantes mudas também somem: o “c” e o “p” nas palavras em que estas letras não são pronunciadas, como em “acto” (“ato”), “baptismo” (“batismo) e “óptimo” (“ótimo”).

Fonte: G1.

Publicidade