RADAR PARAUAPEBAS: Saiba o que é notícia na Capital do Minério neste início de semana

Após chamego a distância por longos 13 anos, que transfixou 2 prefeitos e vários secretários, Uepa lança edital de seletivo com vagas para Parauapebas; já Ufra tenta aprovar Enfermagem
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

CURSOS SUPERIORES

Até que, enfim, a Universidade do Estado do Pará (Uepa) resolveu soltar o tão aguardado edital de seleção para seus primeiros cursos em Parauapebas: as licenciaturas em Matemática e Biologia e o bacharelado em Engenharia de Software (veja o edital aqui). O namoro para trazer graduações regulares da instituição à Capital do Minério completa “Bodas de Renda” em 2021, em razão de longevos 13 anos que o município vem flertando a universidade, que, por sua vez, sempre o iludiu dizendo “sim, eu quero”, mas até então nunca veio se fixar por aqui de verdade, sempre à espera de a administração municipal demonstrar suas “posses” para concretizar o enlace, ou seja, de “olho na butique”. Os nomes dos pombinhos (Prefeitura de Parauapebas e Uepa) no “cartório” só foram publicados em 7 de janeiro deste ano, em edição do Diário Oficial do Estado.

CURSOS SUPERIORES 2

A jornada pela Uepa começou com o prefeito Darci Lermen marchando a Belém juntamente com estudantes de ensino médio, em 2008. Depois, passou pelo ex-prefeito Valmir Mariano, que tentou em 2014 e em 2016 fechar um pacote de cursos, sem sucesso. E, em 2017, as negociações retornaram às mãos de Darci. Ex-secretários de Educação como Raimundo Neto, Juliana Souza, Leila Lobato e Luiz Vieira também se empenharam na luta, assim como o atual, José Leal, que na semana passada foi a Belém cobrar da Estadual o edital dos cursos. Outra personagem importante na caminhada é a vereadora Eliene, que, como Darci, é uma das pioneiras no assunto Uepa e sempre acompanhou todas as tratativas envolvendo a implantação dos cursos e do campus.

CURSOS SUPERIORES 3

No final de fevereiro, o governo Darci pagou quase R$ 2,5 milhões à Uepa, honrando sua parte do compromisso com a universidade, que enrolou Parauapebas até quando pode para trazer alguma coisa, inclusive sacrificando o curso de Enfermagem, que inicialmente era previsto para vir para cá e fora anunciado com pompa e circunstância. Agora, a Uepa lançou edital ofertando menos vagas que o previamente anunciado. São 40 para Matemática e Biologia e apenas 30 para Engenharia de Software (seriam 40, conforme tantas vezes divulgado na imprensa local). Além disso, só poderá se candidatar a uma das vagas quem tiver feito o Enem nas edições 2018, 2019 ou 2020. Apesar dos pesares, a conquista é celebrável porque vai oportunizar mais ensino superior no município, que é, hoje, o mais atrasado do país em oferta de vagas de cursos públicos de graduação entre as localidades com mais de 100 mil habitantes.

INEP EM PARAUAPEBAS

O mundo acadêmico de olho no campus da Ufra em Parauapebas esta semana. Já está no município uma comissão do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) para bater o martelo sobre a implantação (ou não) do curso de graduação em Enfermagem, com 50 vagas. A comissão deve visitar unidades de saúde da rede municipal para conhecer as instalações onde futuros estudantes poderão estagiar. Se o curso for aprovado, as aulas começam ano que vem. A aprovação de Enfermagem poderá abrir portas para implantação, em seguida, de Odontologia.

ROYALTIES RECORDES

A Prefeitura de Parauapebas se prepara para receber carregamento recorde de Compensação Financeira pela Exploração Mineral (Cfem) no mês de junho. Como o preço do minério de ferro — produto que gera a Cfem — tem disparado desde abril e o volume de produção física está num patamar muito bom, é provável que o governo Darci experimente em junho e julho picos épicos de receita nunca antes vistos. Ao longo da semana, o Blog do Zé Dudu vai divulgar o valor dos royalties a serem creditados em junho.

FERRO SOBE DE NOVO

Por falar em minério de ferro, na semana passada ele enfrentou dias difíceis, com queda acentuada em razão de intervenções do governo chinês para controlar o preço da commodity que sustenta o crescimento da indústria do aço no país asiático. Mas não é que nesta segunda-feira (31) ele voltou a subir com força? O preço disparou 4% e tocou 199 dólares por tonelada no porto de Qingdao. Bom para Parauapebas e seu vizinho Canaã dos Carajás, os quais verão alguns reais a mais no contracheque na hora de computar a Cfem.

ASFALTO NA ZONA RURAL

A comunidade das vilas Palmares II e Três Voltas será contemplada com a pavimentação asfáltica da estrada que liga as duas localidades, a notícia foi muito bem recebida pelos moradores durante reunião realizada na tarde deste sábado, 29. A obra de 25 km de asfalto será realizada pela Secretaria Especial de Governo (Segov), com recursos próprios do município. O titular da Segov, Keniston Braga, conduziu a reunião e garantiu o benefício para a comunidade. “O município de Parauapebas vive o seu melhor momento e, para aproveitar essa oportunidade, viemos hoje garantir aos moradores que a infraestrutura para o asfalto começa ainda nesse verão”, afirmou Keniston.

ASFALTO NA ZONA RURAL II

A obra será realizada em duas etapas, a primeira compreende o percurso de 12 km entre a Palmares II e o viaduto da linha de trem. A licitação para esta etapa deve iniciar na próxima semana. A prefeitura fará a pavimentação asfáltica e a Vale fará o projeto de engenharia. O trecho da segunda etapa, com 13 km de extensão, se localiza entre o viaduto e a Vila Três Voltas. A prefeitura será responsável pelo projeto de engenharia e pela execução da obra.  

405 MORTOS POR COVID

A Covid-19 não dá trégua em Parauapebas. Nos últimos sete dias, a doença sepultou 13 pessoas e 631 se contaminaram. No total, Parauapebas computa 50.190 diagnósticos positivos para o vírus. É como se uma população inteira do tamanho da cidade de Jacundá tivesse adoecido só da “gripezinha” (como os incautos ainda chamam). E pior: 405 parauapebenses perderam a vida para o coronavírus desde o início da pandemia, mais gente que em Marabá, onde as mortes por covid somam 396. Parauapebas contabiliza 48.446 pessoas recuperadas da doença. Ademais, a taxa de ocupação de leitos no município era de 56% às 17 horas de ontem (30), sendo 57% nos leitos de enfermaria e 64% nas UTIs do SUS. Na rede privada, a ocupação era de 55% nos leitos de enfermarias e 100% nos de UTI. Todo cuidado é pouco!

Publicidade