Quarta Revolução Industrial chega ao Brasil

Palestra do professor Rogério Vitalli fez uma retrospectiva de todas as revoluções industriais até chegar à 4.0, mas disse que apesar de tudo, não existe tecnologia sem pessoas
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Distribuída em 10 tópicos, a palestra do professor Rogério Vitalli mostrou a Revolução 4.0 através dos pilares e detalhando, além dos impactos, as novas frentes de trabalho e profissões trazidas por ela. “Explanei os 10 pilares de forma apropriada, mostrando que não existe tecnologia sem pessoas. Por isso, precisamos usar isso a nosso favor para criar valor agregado e toda cadeia produtiva ajudando regiões de todos os tipos”, explicou ele.

De acordo com o palestrante, através de uma breve retrospectiva, tudo foi iniciado pela Maria Fumaça que durou dois séculos, período em que se converteu a energia térmica em energia mecânica, a primeira Revolução Industrial foi o start para o início da evolução do que hoje temos.

A primeira revolução foi sucedida pela chegada dos carros, tida como a segunda Revolução Industrial, tendo como responsável Henry Ford. Porém, chegou o momento de avançar ainda mais, assim, chegou a terceira Revolução Industrial através da Robótica com controladores lógicos programáveis, PLCs, dispositivos sequenciais. “Ao contrário da primeira e segunda, a terceira revolução, não foi pensada apenas por uma pessoa, mas, por uma equipe de trabalho composta por engenheiros e acadêmicos”, explicou o professor Rogério, mensurando que para que ela chegasse demorou quase meio século.

Porém, a terceira revolução deu lugar à quarta, iniciada em 2010 trazendo consigo fábricas inteligentes em uma era cibernética e ciberfísicos tendo como marca a customização.

A palestra organizada pela UFRA –Universidade Federal Rural da Amazônia e o Instituto Avançado de Robótica, ocorreu no auditório da Câmara Municipal na noite desta quinta-feira, 21, em um evento aberto a todos que tenham o intuito de conhecer mais a respeito da tecnologia robótica com o objetivo de buscar competitividade e produtividade e a migração para indústria 4.0.

“A universidade decidiu trazer esta palestra devido a presença do novo momento na revolução industrial, trazendo consigo automação, internet e tudo o que diz respeito ao ser humano desde o trabalho mais prosaico até as coisas mais sofisticadas”, explicou o professor Ádnei Marinho, representante da UFRA, enfatizando que se engana muito quem pensa que Robótica é um assunto dos grandes especialistas e das grandes montadoras e empresas de tecnologias.

O evento contou com a participação de diversas pessoas que ao final da palestra fizeram perguntas respondidas pelo palestrante.

Publicidade