Pará

Produção agrícola paraense encolhe R$ 300 milhões de um ano para outro

Das quatro principais commodities, açaí e mandioca tiveram retração. Soja e cacau foram os que mais avançam. Dos dez municípios que mais produzem cacau no país, seis são do Pará.

Em 2018, o Pará produziu R$ 10,4 bilhões por meio de uma cesta saborosa de commodities agrícolas. Esse valor corresponde a uma fatia de 7,5% do atual Produto Interno Bruto (PIB). As informações foram levantadas com exclusividade pelo Blog do Zé Dudu, que se debruçou sobre os números da Pesquisa Agrícola Municipal (PAM) divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na última quinta-feira (5).

O valor bilionário, entretanto, caiu em relação aos R$ 10,7 bilhões movimentados em 2017. E a queda expressa em números, em torno de R$ 300 milhões, foi uma das maiores do país entre as 27 Unidades da Federação, conforme apurou o Blog. Mesmo assim, o Pará se mantém como o 9º do país que mais produz commodities agrícolas, tendo sua cesta fortemente baseada em cinco especiarias: açaí (R$ 3,149 bilhões), soja (R$ 1,744 bilhão), mandioca (R$ 1,623 bilhão) e cacau (R$ 1,05 bilhão).

Juntas, as quatro principais commodities agrícolas do estado respondem por algo em torno de 73% do faturamento do setor no estado — uma riqueza que, para variar, sequer fica aqui e, quando fica, tem se mostrado incapaz de mudar para melhor a realidade de vida dos municípios produtores, a maioria paupérrimos. De 2017 para 2018, houve crescimento na movimentação de soja (cerca de R$ 180 milhões) e cacau (R$ 200 milhões). Por outro lado, houve redução na produtividade de açaí (cerca de R$ 215 milhões) e de mandioca (R$ 220 milhões).

Cacau

O Pará tirou de vez da Bahia o pódio de maior produtor nacional de cacau, confirma o IBGE. O estado nortista movimentou em 2018 cerca de R$ 55 milhões a mais que o estado nordestino. Inclusive, dos dez municípios que mais produzem cacau no país, seis são paraenses, com a hegemonia de Medicilândia (R$ 409,4 milhões) e Uruará (R$ 122,65 milhões), além da presença de Placas (R$ 69,1 milhões), Brasil Novo (R$ 56 milhões), Altamira (R$ 52,7 milhões) e Anapu (R$ 52,6 milhões). O cacau é insumo para a fabricação de diversos itens, de chocolate a cosméticos.

Confira a relação de 19 produtos agrícolas (de um total de 38) que mais movimentavam as finanças no estado.

Deixe seu comentário