Previsão de colheita da safra do Pará para 2020 é menor que ano passado

Expectativa é de baixa na primeira safra de milho e de sorgo este ano. Produtos como cacau, laranja e mandioca devem apresentar resultado inferior ao apurado ao longo do ano passado.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

As previsões formuladas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no mês passado para a safra paraense no ano de 2020 pioraram em relação aos números de 2019. Se, no ano passado, a safra de cereais, leguminosas e oleaginosas do estado rendeu 2,78 milhões de toneladas, este ano a expectativa é de que totalize 2,75 milhões de toneladas, 30 mil a menos. As informações foram divulgadas na manhã desta terça-feira (10) pelo IBGE, por meio do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), o qual o Blog do Zé Dudu acessou para analisar os dados.

A baixa é resultado da previsão de desempenho ruim da colheita de milho na primeira safra (454,9 mil toneladas este ano ante 506,5 mil no ano passado) e de sorgo (19,7 mil este ano contra 39,8 mil em 2019). Em termos nominais, apenas essas duas commodities agrícolas causam retração de 70 mil toneladas na safra de 2020, e a queda só não se consolida pior porque houve crescimento de perspectiva nas safras de arroz (de 94,7 mil em 2019 para 100,1 mil em 2020) e de soja (de 1,78 milhão em 2019 para 1,81 milhão em 2020), amortecendo o desempenho fraco da colheita.

O IBGE também detectou piora na safra de cacau, que deve cair de 129,3 mil toneladas em 2019 para 111,8 mil este ano; de laranja, que cai de 247,8 mil para 240,7 mil; e de mandioca, que despenca de 3,92 milhões para 3,86 milhões, sendo a que apresenta a maior retração nominal.

Publicidade