Parauapebas

Presidiário executado com tiro no peito em Parauapebas

Raimundo Marques Loiola, preso em Santa Izabel, foi beneficiado com saída temporária e aproveitou para ver a mãe em Parauapebas, mas acabou encontrando a morte

O presidiário Raimundo Marques Loiola, 40 anos de idade, conhecido como “Gancho” e” Véi”, foi executado em Parauapebas, por volta das 14h20 desta sexta-feira (23), com um tiro de arma de fogo no peito. Loiola estava na porta da casa da mãe dele, na Travessa São Paulo, quando ocorreu o baleamento. 

Raimundo Loiola estava cumprindo pena em presídio de Santa Izabel do Pará, na Região Metropolitana de Belém, por tráfico de entorpecentes. Ele havia saído temporariamente, na terça-feira (20), beneficiado pela segunda etapa do indulto do Dia dos Pais e aproveitou para visitar a mãe, segundo contou uma prima.

O homem estava sentado na porta da casa da mãe dele quando o atirador chegou e, sem nada dizer, atirou em Loiola, que ainda chegou a ser socorrido e removido ao Hospital Municipal de Parauapebas, mas morreu antes de dar entrada na Emergência.

A polícia acredita que Raimundo Marques Loiola foi vítima de acerto de contas com o tráfico, por conta de sua vida pregressa.

(Caetano Silva)

Deixe seu comentário