Presidente do Incra conclama prefeitos eleitos para aderirem ao programa “Assentamentos Verdes”

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Por Ulisses Pompeu – de Marabá

Na primeira palestra do seminário para os prefeitos eleitos em outubro último, o presidente do Incra, Carlos Guedes, lançou o Plano de Prevenção, Combate e Alternativas ao Desmatamento Ilegal em Assentamentos da Amazônia Legal, denominado Programa Assentamento Verdes.

O foco, segundo ele, é a redução do desmatamento nos assentamentos, associada às estratégias do Programa Bolsa Verde, inserido no Plano Brasil Sem Miséria e a meta é atender 980 projetos de assentamentos, em 199 municípios e alcançar mais de 190 mil famílias até 2019.

Para Carlos Guedes, o programa está entre as principais contribuições da autarquia para a mudança do perfil das áreas de reforma agrária na região, tornando-as comunidades rurais autônomas e ambientalmente sustentáveis. “Estamos trabalhando com uma meta global para a Amazônia. São 980 projetos de assentamentos, 20 milhões de hectares e metade desse público está no Pará e um terço na região de Marabá. Por isso estamos aqui porque acreditamos muito nessa parceria que o governo federal já tem com o município e o Incra reafirma esse compromisso discutindo o programa com vocês, prefeitos. Estamos apresentando em primeira mão o programa que lançamos nesta terça-feira e está hoje (ontem, quarta-feira) no Diário Oficial da União”, justificou.

O Programa Assentamentos Verdes baseia-se na atuação conjunta do Incra com instituições públicas e privadas, além de organizações sociais do campo. As ações estão orientadas em quatro eixos: valorização de ativos ambientais e de atividades produtivas; a recuperação de passivos ambientais com geração de renda e segurança alimentar para as famílias; a regularização fundiária e ambiental via Cadastro Ambiental Rural (CAR), por unidade familiar; além do monitoramento e controle ambiental.

Entre os meses de janeiro e fevereiro do próximo ano, reuniões de trabalho, em cada superintendência, vão limitar os procedimentos necessários para o cumprimento das metas, que farão parte de um plano de trabalho plurianual.

O Programa Assentamentos Verdes será validado até 1º de março de 2013 junto a órgãos da administração pública direta e indireta e à sociedade civil.

Publicidade