Presidente da OAB em Parauapebas é assassinado em Manaus

É com pesar que informo a morte do advogado Jakson Souza e Silva, presidente da Subseção Parauapebas da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB –, ocorrida no final da …

Jakson SilvaÉ com pesar que informo a morte do advogado Jakson Souza e Silva, presidente da Subseção Parauapebas da Ordem dos Advogados do Brasil – OAB –, ocorrida no final da noite deste sábado (24) em Manaus – Amazonas.

Segundo as primeiras informações de advogados que militam com Jakson em Parauapebas, ele estava em Manaus a trabalho quando teria sido abordado por dois meliantes em uma moto, não se sabe ao certo se para assaltá-lo e se houve reação do advogado, e estes lhe desferiram um único tiro de calibre 12 e se evadiram do local sem levar dinheiro, celular ou a pasta que carregava.

Jakson Silva foi socorrido por populares e levado a um hospital próximo, mas não resistiu ao ferimento.

A OAB Pará tenta, ainda neste domingo, a remoção do corpo do advogado para o município de Parauapebas, onde será velado e sepultado.

Jakson Silva, que era formado pela UFPA, deixa esposa e quatro filhos, o mais novo com apenas 18 meses de idade.

Em nota enviada por seu presidente, Thiago Carvalho de Pinho, a  Associação dos Procuradores do Município de Parauapebas – APMP lamentou profundamente o falecimento do Advogado e amigo Jakson de Sousa e Silva, presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Subseção de Parauapebas/PA, e registra aqui as condolências à família enlutada, colocando-se à disposição para auxiliar naquilo que for necessário e possível.

11 comentários em “Presidente da OAB em Parauapebas é assassinado em Manaus

  1. geneci souza Responder

    Infelizmente a violência esta em todos os lugares e muitas das vezes os criminos não são encontrados, que este brutal assassinato não seja esquecido, pois a que esses assassinos sejam presos e punidos dentro dos rigores da lei.

  2. vei Responder

    Esse crime precisa ser federalizado,afim de que não caiam no esquecimento, como tantos outros ocorridos no Pará, e os assassinos e mandantes possam ser presos e condenados.

  3. helio melo Responder

    Meus pesames aos familiares, todos sentiremos muita falta da pessoa alegre e comprometida….

  4. Flavio Sacramento Responder

    Zé você não acha que o prefeito deveria decretar luto oficial?
    Veja o que diz a lei sobre o luto oficial: é uma forma de manifestação de tristeza da nação e um reconhecimento dos serviços prestados pelo morto ao país.
    Exceto no caso do presidente da República – cujo luto é de 8 dias – os demais são de 3 dias. Mas o Decreto 70.274/72, que trata do assunto, diz que o luto oficial pode, em casos excepcionais, ser estendido por até sete dias, quando a pessoa que morreu prestou relevantes e notáveis serviços ao país.

    Mas há um detalhe interessante: o artigo 88 do Decreto determina que “no caso de falecimento de autoridades civis ou militares, o Governo poderá decretar as honras fúnebres a serem prestadas, não devendo o prazo de luto ultrapassar três dias”. Reparem que esse artigo se refere a autoridades. Autoridade é quem tem alguma forma de poder público formal, ou seja, dado pela lei. É praxe o presidente decretar luto oficial quando uma figura pública – e não só uma autoridade pública – morre. É por isso que, vez por outra, vemos luto oficial para desportistas, líderes sociais etc.

    Do ponto de vista prático, isso tem pouca importância, exceto que nos decretos de luto oficial, via de regra, há também um ou outro artigo que estabelece que os custos relacionados ao funeral daquela pessoa serão por conta do governo.

  5. João José Corrêa Responder

    Muito triste este fim para o companheiro e amigo de alguns anos. Me solidarizo com a família e lamento por Parauapebas estar se tornando um lugar cada dia mais difícil de se viver bem.

  6. Senna Responder

    Lamentável. Isso é o nosso Brasil… Há ainda os incautos que acreditam que isso só ocorre no Pará, que não é aliado do Governo Federal, o vizinho Amazonas recebe as benesses em termos de recursos federais e também vive assim…
    Na verdade nós vamos perdendo aos poucos o sentido da indignação.

  7. EDMUNDO ABREU Responder

    Mais uma vez somos vitimas da violência e da criminalidade que imperam em nosso pais de norte a sul!!Lamentável a morte do Jackson, jovem e promissor advogado, meus pêsames aos familiares.

Deixe seu comentário