Preço do minério de ferro no 2º semestre pode ser o pior desde 2012

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

O preço do minério de ferro pode chegar a menos de US$ 100 por tonelada pela primeira vez desde 2012. A queda nos preços ocorre no momento em que a crescente oferta global impulsiona o crescimento do excedente de oferta do mercado transoceânico, e o crescimento da demanda na China perde força. A previsão é de especialistas de mercado de diferentes empresas do mundo todo.

pilha_de_minério_de_ferroO excesso de oferta do mercado transoceânico vai subir para 79 milhões de toneladas neste ano, segundo previsão da Morgan Stanley. Já o banco Standard Chartered prevê um excedente de 136 milhões de toneladas. Os estoques nos portos chineses alcançaram um recorde de 110,1 milhões de toneladas na semana passada, cerca de 27% a mais em relação ao ano passado, segundo dados do Shanghai Steelhome Information Technology.

Os embarques de minério na China bateram recorde e chegaram a 820 milhões de toneladas no ano passado, segundo a China Iron & Steel Association. No primeiro trimestre de 2014, a importação no país asiático cresceu cerca de 19%, para 222 milhões de toneladas, de acordo com dados de 10 de abril.

“A expectativa é que a produção de aço bruto da China chegue a 1,1 bilhão de toneladas em 2025. Nosso panorama é para um forte crescimento na demanda de aço para os próximos dez anos”, disse Michiel Hovers, vice-presidente de marketing da BHP Billiton.

O minério com 62% de ferro entre a Tianjin teve uma queda de 21% em 2014, para US$ 106 por tonelada, segundo dados do The Steel Index. O preço de referência (benchmark price) em março deste ano caiu para US$ 104,70, o pior desde outubro de 2012.

Segundo a Morgan Stanley, preços inferiores a US$ 105 podem impulsionar a compra de minério de fora da China, mas é improvável que ocorra uma queda significante inferior a US$ 100. O preço da tonelada de minério de ferro na China estava US$ 20,34 mais caro do que a média global na semana passada. Em 30 de abril, a diferença de preço chegou a US$ 20,94, a maior defasagem em seis semanas.

A economia chinesa enfrenta seu pior momento de expansão desde 1990. Segundo previsão da Bloomberg, a economia do país asiático deve expandir 7,3% em 2014 à medida que o governo reduz o crédito.

“Nós apontamos o risco de que os elevados estoques nos portos chineses podem levar a um novo ciclo de diminuição dos estoques (destocking), levando a uma pressão adicional nos preços à vista. O preço da tonelada do minério de ferro ficará inferior a US$ 100 no quarto trimestre deste ano por algum tempo”, disse Christian lelong, analista do Goldman Sachs.

Fonte: NMB