Prefeitura de Parauapebas cria comissão para discutir pleitos salariais

Uma das alternativas é criar escalas de benefícios, que seriam distribuídos conforme formação acadêmica dentro do cargo que se ocupa, modelando valores conforme títulos, segundo fontes

Continua depois da publicidade

A pressão por reajustes e benefícios, concedidos de diferentes formas a cargos e carreiras da Prefeitura de Parauapebas, está colocando o prefeito Darci Lermen contra a parede. Na última segunda-feira (4), por exemplo, auxiliares administrativos marcharam atrás do gestor para cobrar que aqueles profissionais portadores de diploma universitário recebam salários compatíveis com nível superior. Darci pediu prazo para analisar a proposta da categoria.

Nesta quarta (6), Lermen fez publicar no Diário Oficial do Município portaria que cria comissão específica para analisar e providenciar estudos técnico, administrativo e orçamentário de pleitos que tratem de adequações sobre reenquadramento de cargos, vencimentos, adicionais e níveis de investiduras para cargos de provimento efetivo da prefeitura. A informação foi levantada com exclusividade pelo Blog do Zé Dudu.

Com a medida, e por meio de discussão profunda dos vencimentos atualmente pagos, pode haver mudança na forma como os servidores atualmente são remunerados. Uma das hipóteses cochichadas por fontes do Blog é de que servidores contratados, que hoje estão em cargos que recebem gratificação de 100%, podem acabar perdendo o benefício, o qual viria a ser distribuído entre servidores concursados a partir de critérios específicos.

Para isso acontecer, no entanto, seria preciso mexer nas leis que criaram as gratificações e dimensionar qual o impacto financeiro da redistribuição de benefícios. Seria uma espécie de toma lá, dá cá, que, apesar disso, poderia não surtir o efeito esperado.

Meritocracia

Há, ainda, a hipótese de se criar escalas de benefícios que seriam distribuídos conforme a formação acadêmica dentro do cargo que se ocupa, modelando os valores conforme os títulos, o que limitaria a percepção de gratificações e, ao mesmo tempo, iria incentivar uma corrida de servidores rumo à qualificação acadêmica para fazer jus ao extra.

O atual cenário das finanças de Parauapebas ― com a folha de pagamento batendo à porta do limite de alerta da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) para gastos com pessoal ― não tem sido favorável a Darci, no tocante a criar novas gratificações sem que seja necessário sacrificar outras, cortando da carne. Mas entre os servidores cresce o argumento de “ou tem para todos, ou não tem para ninguém”.

Agora, a bomba está no colo de representantes das secretarias de Administração (Semad) e Fazenda (Sefaz), Controladoria-Geral do Município (CGM), Procuradoria-Geral do Município (PGM) e Gabinete, escolhidos para lançar luz sobre o atual modelo de remuneração da prefeitura. Os indicados para a comissão vão ter de bater cabeça para realizar a análise crítica documental dos diferentes pleitos, de várias categorias, que se acumulam na mesa do prefeito sem desfecho.

13 comentários em “Prefeitura de Parauapebas cria comissão para discutir pleitos salariais

  1. Iara soares Responder

    O ideal é fazer logo concurso pra todos os cargos já com a legislação pronta para evitar essas pressões futuras . Da o de Cézar o que é de cezar .

  2. Iara soares Responder

    Só seguir o edital do concurso , se é nível médio , salário de nível médio , sentisse gratificação por escolaridade da gratificação . Não pode um efetivo que fez concurso nível médio e hoje tem superior querer ganhar assim .

    • VTNC Responder

      Isso é medo de passar o projeto e terem que demitir vc , ,contratada? Estuda, faz concurso, passa, aí para de lamber as bolas dos políticos (que é o que vc faz atualmente pra conseguir seu contrato) daí reivindica melhorias tbm

  3. PAULA Responder

    SO SE O PREFEITO DARCI ESTIVER LOUCO PRA FAZER O QUE ESSES AUXILIARES ESTAO QUERENDO NA MARRA!! NAS ESCOLAS TEM UNS AUXILIARES QUE SO JESUS NA CAUSA, ATENDIMENTO PESSIMO!! SOU CONCURSADA NA SAUDE, NIVEL SUPERIOR, E ACHO QUE NAO TEM O MENOR CABIMENTO ESSES AUXILIARES CRIAREM EXPECTATIVA SOBRE ISSO. A DECISAO DO STF DE DEZEMBRO DE 2020 NÃO AJUDA ELES PORQUE PROIBE A PARTIR DAQUELA DATA A TRANSPOSIÇÃO DE NIVEL SEM CONCURSO PUBLICO. ME PERGUNTO: UM CONCURSADO PRA AUXILIAR ADMINISTRATIVO COM GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM, VAI PODER PRATICAR A ENFERMAGEM?!? NÃO NÉ, ENTÃO COMO ASSIM PASSAR PRA NIVEL SUPERIOR UM CARGO EM QUE O OCUPANTE NÃO PODERA EXERCER??? ESSE POVO ENDOIDOU!! ETA PEBINHA DE MURO BAIXO!!!

  4. Lennon Peres Maia Responder

    Não é consenso entre os servidores públicos de carreira conforme informa a matéria: – “ou tem para todos, ou não tem para ninguém”. Somos à favor da legalidade; capacidade financeira do município; e da isonomia no serviço público para todos os servidores. Se houver todos os requisitos em Lei, não há porque o chefe do executivo se opor.

  5. Antonio Responder

    Sou auxiliar e não acredito que esse papo vai pra frente. As lideranças do nosso movimento são fracas e despreparadas. #prontofalei

Deixe seu comentário

Posts relacionados

%d blogueiros gostam disto: