Parauapebas

Prefeitura de Parauapebas adita contrato milionário de viagens e deslocamentos

Medida já está valendo e contempla servidores que precisem viajar para resolver “pepinos” do município ou para participar de cursos ou reunião de interesse da administração, bem como abrange usuários do TFD.

Uma publicação no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira (6) traz o aditamento de prazo de um contrato milionário entre a Prefeitura de Parauapebas e uma agência de viagens que atende ao Poder Executivo no deslocamento de servidores e de usuários do Tratamento Fora do Domicílio (TFD). O contrato de número 20180267, no valor de R$ 1.593.373,94, foi celebrado no dia 2 de maio do ano passado e valeria até o segundo dia deste ano.

No entanto, conforme a publicação no DOU, a validade do contrato celebrado pela Prefeitura de Parauapebas, por meio da Secretaria Municipal de Administração (Semad), com a empresa Takahashi & Winslow Ltda vai agora até 2 de setembro. Até lá, o governo de Darci Lermen poderá fazer cotação, reserva, emissão e cancelamento de passagens aéreas para o deslocamento de servidores municipais, inclusive para a realização ou participação de cursos, seminários, reuniões de que também participem conselheiros municipais. Os usuários do TFD também são contemplados com a medida.

O Blog do Zé Dudu levantou no portal da transparência da Prefeitura de Parauapebas que, em 2018, o governo municipal pagou R$ 1.511.250,00 em diárias a servidores municipais. É a prefeitura paraense que mais gastou com esse tipo de despesa, superando até mesmo Belém, que tem número de servidores maior (a capital paraense gastou seis vezes menos). Este ano, até o momento, já são R$ 190,8 mil em diárias.

Um comentário em “Prefeitura de Parauapebas adita contrato milionário de viagens e deslocamentos

  1. Garcias Responder

    Ze Dudu, Parauapebas, gastou mais com diárias de servidores em viajem para fora do município do que Belém, justamente pelo fato de que os servidores da capital, não tem tanta necessidade de viajar para o interior do estado. Enquanto Parauapebas depende em tudo de Belém. Se verificar verás que a maioria das diárias pagas a servidores não é para fazer cursos e sim resolver situações decorrentes as necessidades do município ou para levar pacientes para tratamentos em Belém, já que não temos a presença do Estado em nosso município. Não é justificando os gastos com diárias é apenas esclarecendo a comparação entre os gastos de Belém e Parauapebas

Deixe seu comentário