Prefeitura de Canaã vai comprar 13 mil kits de testes para Covid

Administração alega necessidade de continuar rastreando casos do coronavírus no município, que pretende gastar R$ 1,7 milhão com o serviço; prefeitura já usou R$ 61 milhões na saúde.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Com quase 2.900 infectados pelo novo coronavírus e se aproximando dos 40 óbitos, o município de Canaã dos Carajás planeja comprar mais testes rápidos nos próximos dias para atender as necessidades da população. Está previsto para o próximo dia 20 um pregão para registrar preços de kits de testagem que serão pagos com recursos do Fundo Municipal de Saúde. O fundo recebeu recursos de sete emendas impositivas remanejadas dentro do orçamento municipal e que tiveram sua finalidade modificada. A prefeitura local autorizou gastar até R$ 1.699.895,00 com a aquisição.

As informações foram levantadas pelo Blog do Zé Dudu e podem ser conferidas aqui. O governo municipal tomou por base o preço de R$ 127 por teste rápido e pretende comprar 13.385 kits distribuídos em dois lotes, um para a cota principal e outro para a cota reservada, contemplando a participação de micro e pequenas empresas na seleção. Vale lembrar que os testes rápidos não são o exame de referência para a detecção da Covid por terem sensibilidade baixa. O teste considerado padrão ouro para detecção da Covid-19 é o RT-PCR, atualmente feito em massa no município de Parauapebas.

Ainda assim, segundo a prefeitura, a aquisição dos kits vai permitir realizar testes em massa, “dando continuidade à triagem dos casos suspeitos encaminhados aos serviços públicos de saúde”. A Secretaria Municipal de Saúde diz que a ausência do material pode impor dificuldade às medidas de enfrentamento ao coronavírus. “Desta maneira, medidas urgentes, de imediata aplicação, devem ser asseguradas para a detecção e contenção da pandemia”, destaca.

Dados levantados pelo Blog do Zé Dudu revelam que a Prefeitura de Canaã dos Carajás liquidou nos primeiros seis meses deste ano R$ 61.632.754,75 na saúde local, sendo R$ 1.847.306,83 em vigilância epidemiológica. O município, que tem a 5ª mais rica administração do estado, aplicou 20,47% da receita de impostos e transferências constitucionais em ações de saúde. O mínimo exigido por lei é de 15%.