Prefeitura de Bannach quer usar R$ 3 milhões para abastecer saúde pública

Administração de Lucineia Oliveira alega que falta de medicamentos que constam da licitação pode gerar consequências graves e irreversíveis à população. Bannach faz um dos melhores investimentos em saúde por habitante do estado.
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

O município menos populoso do Pará abriu uma senhora licitação de fazer inveja a qualquer cidade grande com prefeitura cheia de dinheiro. A administração de Lucineia Oliveira, que governa para 3.310 habitantes, está caminhando com uma licitação cujos gastos podem chegar a R$ 3 milhões. As informações do processo, que foi iniciado no final de maio, foram levantadas pelo Blog do Zé Dudu junto ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e podem ser conferidas aqui.

A Prefeitura de Bannach quer registrar preços para “aquisição de medicamentos básicos, controlados, material hospitalar, reagentes de laboratório, materiais odontológico, para serem utilizados no atendimento à saúde pública do município” e, para tanto, alega que a medida “é de irrefutável interesse público”. Os custos da compra totalizam exatos R$ 3.019.158,88.

O governo de Lucineia justifica que a farmácia “é um dos setores mais importantes de qualquer unidade hospitalar” e serve, com materiais e medicamentos, a pacientes internados e em situação de emergência, subsidiando o tratamento terapêutico e a reabilitação de saúde deles. Ao todo, a administração está adquirindo 520 itens, com os mais variados preços. O Blog do Zé Dudu deu uma olhada na planilha de quantitativos e avaliou que os produtos mais caros são 9.000 pacotes de gaze, que saem por R$ 100.530. Na sequência aparecem os medicamentos dipirona (R$ 49.200 por 30 mil unidades), ceftriaxona (R$ 48.150 por 5.000 unidades) e cefalexina (R$ 48 mil por 8.000 unidades).

Mas também há muito medicamento com custo unitário barato, como a aminofilina, o propranolol, o anlodipino de 5 miligramas e o captopril, cujo valor é de 10 centavos. O anlodipino de 10 miligramas e a hidroclorotiazida custam 12 centavos a unidade. Já os produtos mais demandados pela saúde, em termos de quantidade, são a glibenclamida, a metformina, o ácido acetilsalicílico, a furosemida, a hidroclorotiazida, a losartana de 100 miligramas, a losartana de 50 miligramas, a dipirona e o atenolol.

Alto investimento

No entendimento da administração, “a inexistência desses medicamentos em estoque poderia acarretar graves prejuízos à população, em especial aos pacientes internados, cujas consequências poderiam ser incalculáveis e irreversíveis”, diz trecho das alegações apresentadas pela prefeitura para pautar a licitação.

O Blog do Zé Dudu apurou que a Prefeitura de Bannach aplicou R$ 2.135.217,78 em serviços de saúde no primeiro semestre deste ano, conforme indica prestação de contas do governo encaminhada ao Tesouro Nacional. O município fez o quatro melhor investimento em saúde pública do Pará entre os 69 que entregaram a execução orçamentária do 3º bimestre, com R$ 645,08 aplicados por habitante, valor só superado por Pau D’Arco (R$ 655,82), Parauapebas (R$ 730,66) e Canaã dos Carajás (R$ 1.083,86).

Publicidade

Relacionados