Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!
Parauapebas

Prefeitura amplia abastecimento de água para Parque dos Carajás e Cidade Jardim

Inauguração do sistema foi na manhã de hoje (21) e vai atender mais de 9 mil pessoas. Prefeitura começará a instalar hidrômetros nas residências.

Após anos de espera e muitos transtornos, os moradores do Parque dos Carajás I e II e das etapas 3ª, 7ª e 8ª do Cidade Jardim finalmente começaram a receber água do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas (Saaep). E água tratada, de qualidade, assegura o diretor da autarquia, Sérgio Balduíno, que na manhã de hoje (21) participou da inauguração do sistema ao lado do prefeito Darci Lermen e do presidente da Câmara Municipal, vereador Luiz Castilho (Pros), e outras autoridades.

Com capacidade para fornecer 1 milhão e 680 mil litros de água, por dia, o sistema vai atender a mais de nove mil pessoas, como o empresário Alexsander Castro Reis, que há nove anos reside no Parque dos Carajás I e já passou por muito sofrimento. “Sempre tivemos problemas com o fornecimento de água. Espero que, com essa entrega, o problema realmente seja resolvido”, disse ele.

Sérgio Balduíno informou que esta é apenas a primeira etapa do projeto. Ainda este ano o volume de água será ampliado para atender todo o Cidade Jardim – da 1ª a 11ª etapa –, com a construção de mais 11 mil metros de adutoras. Com a ampliação do serviço, o diretor do Saaep avisou que haverá instalação de hidrômetros nas residências, para que o valor cobrado seja conforme o consumo real das famílias.

Tanto Balduíno quanto Darci Lermen observaram que muitas residências em Parauapebas pagam um valor fixo, que não passa de R$ 31, inclusive casas com piscinas. “Os moradores vão começar a receber água, nossa despesa vai aumentar até porque o município vai investir muito nisso, então o correto é hidrometrar”, justificou o diretor do Saaep.

Até 2020, a prefeitura promete dobrar a capacidade de tratamento de água, elevando a capacidade de atendimento para 360 mil habitantes, e modernizar todo o sistema. Até lá, muitos locais ainda irão depender dos carros-pipa, considerado “precário” pelo próprio prefeito de Parauapebas. “A equipe do Saaep está se esforçando pra produzir mais água e nós sabemos que para resolver isso em definitivo precisamos duplicar aquela estação mais antiga que nós já temos. É uma duplicação complicada, mas é mais viável e mais rápida de ser executada. Está no nosso planejamento”, afirmou Darci Lermen.

Feliz coincidência

Para o presidente da Câmara Municipal, vereador Luiz Castilho, foi uma “feliz coincidência” a inauguração do sistema de água, ocorrida cinco dias depois de o chefe do Legislativo se reunir, a pedido, com moradores do Parque dos Carajás, que colocaram como prioridade número 01 o abastecimento de água. “Essa inauguração mostra que o governo tem trabalhado em prol da sociedade, para atender suas demandas, que não são poucas. Sabemos que o atendimento é gradativo, mas a cada dia estamos buscando alcançar melhorias”, reconheceu Castilho.

Na próxima quarta-feira (23), o parlamentar voltará a se reunir com os moradores, para dar uma resposta à pauta de reivindicações. O asfaltamento do bairro, por exemplo, já está garantido em licitação e a iluminação pública, com as super LEDs, está prevista para até meados de fevereiro. Castilho também se reuniu com o comandante da Polícia Militar de Parauapebas, major Gledson Santos, que ficou de participar do encontro com os moradores.

Mais água e macrodrenagem

Segundo Sérgio Balduíno, ainda neste ano o Saaep irá interligar o complexo de reserva do bairro Betânia aos reservatórios dos bairros Tropical I e II, Ipiranga, Minérios e Vila Nova. Serão mais de oito mil metros de adutora, o que irá garantir estabilidade no fornecimento de água para 24,3 mil pessoas.

Para a VS-10, está prevista a recuperação dos reservatórios dos bairros Caetanópolis e Nova Vida II, cada um com capacidade para 2,5 milhões de litros de água. Este é considerado o primeiro passo para o projeto que prevê a instalação de nove mil metros de adutoras, construção de um terceiro reservatório de um milhão de litros de água e instalação de 200 mil metros de redes de distribuição. Com isso, a prefeitura pretende atender a todos os bairros da VS-10, com 34 mil habitantes.

Outra expectativa da prefeitura está no início das obras de macrodrenagem, uma financiada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), no valor total de US$ 75 milhões, e outra pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), de cerca de R$ 200 milhões.

“Esta semana já recebemos uma carta informando que vai ter uma missão do BID agora e já estamos autorizados a fazer licitação”, adiantou Darci Lermen, para explicar que a licitação é para a construção da primeira etapa da macrodrenagem, no valor de R$ 64 milhões. “São duas grandes obras que vão impactar positivamente a cidade. Até o mês de maio ou junho – maio talvez – a gente quer assinar as ordens de serviço para dar início à primeira etapa”, adiantou o prefeito.

Deixe uma resposta