Polícia Militar prende sindicalista acusado de estupro contra a própria filha

Ele nega tudo e diz que jamais cometeria um crime como esse. Com o homem foi encontrada uma espingarda que seria usada para ameaçar a vítima de morte
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Já se encontra recolhido na Cadeia Pública de Parauapebas o sindicalista Francisco Rafael Sousa Lino, de 35 anos de idade. Ele foi preso pela Polícia Militar, na noite de sábado (7), conduzido à 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil e entregue ao delegado plantonista Nelson Alves Júnior, junto com uma espingarda cartucheira calibre 20.

A prisão se deu após Francisco ter sido denunciado pela filha dele, de 15 anos, e pela mãe dela, que o acusam de estuprar a adolescente dede que ela tinha 7 anos de idade, coagindo-a sob ameaça de matá-la, assim como à mãe, com a espingarda.

O abuso, segundo a autoridade policial, decorreu de “atos libidinosos diverso da conjunção carnal”. O acusado, entretanto, nega tudo e afirma que nem sequer sabe quem o denunciou. Ouvido pela Reportagem do Blog, ele disse que o crime que pode ter cometido é o de posse ilegal de arma.

“Eu jamais cometeria esse erro, isso é muito pesado. O que aconteceu foi que ontem (sexta-feira, 6) eu peguei um cara debaixo da cama da minha filha de 15 anos e mandei que ele saísse da minha casa. Fui até a casa do pai dele e disse que ele, que é maior de idade, se afastasse da minha filha. Posso ter dito alguma coisa a mais, não sei, mas isso (o estupro) eu não fiz”, afirmou Francisco.

(Caetano Silva)