Marabá

Polícia investiga extensão de fraude no concurso da Prefeitura de Marabá

A Polícia Civil dá continuidade nesta segunda-feira, 18, ao flagrante feito pela Polícia Militar no domingo, 17, durante a aplicação de provas do concurso público da Prefeitura de Marabá. Por volta de 10h30, Raimundo Moreira Matos foi preso na Faculdade UNIASSELVI, em frente o Shopping Pátio Marabá.

Raimundo Moreira Matos

Ele estava com um ponto eletrônico (no ouvido) em sala de aula, respondendo a prova. Uma Guarnição da Polícia Militar, com o cabo Teixeira e o soldado Marlyson foi acionada pelo assessor jurídico da Fadesp (banca realizadora do certame), Luís Fillipe dos Santos Pereira, que informou que havia um candidato usando um ponto eletrônico para responder a prova. Quando os policiais chegaram à sala de aula, Raimundo foi levado a uma sala separada, onde entregou os equipamentos que portava. Ele estava conectado a outra pessoa, que lhe passava respostas das provas. De lá, ele foi conduzido até a 21ª Seccional Urbana da Nova Marabá, onde permaneceu preso.

Na delegacia, Raimundo confirmou o ponto, mas não entregou o nome de ninguém. Alegou que comprou o equipamento pela Internet no valor de R$ 4.000,00 só para fazer a prova para o cargo de motorista. Ironicamente, ele é servidor da própria Prefeitura de Marabá e mora no bairro Liberdade.

A polícia apura quem poderia estar usando o outro ponto para passar as informações para ele do lado de fora da escola. Há, também, a possibilidade de uma quadrilha estar operando no concurso da Prefeitura de Marabá e Raimundo ser apenas um dos beneficiários que compraram ponto eletrônico. Segundo o delegado Vinícius Cardoso das Neves, a polícia está atuando para descobrir quem passava as informações para ele e quem repassou o equipamento. “Isso caracteriza crime de fraude a certame ou concurso público. Ele foi autuado em flagrante e vai ser levado para audiência de custódia no Fórum, e a Justiça vai avaliar o caso, se vai ser posto em liberdade ou continuará preso. Por ser servidor público, não cabe fiança na esfera policial”.

Ele disse desconhecer quem seria a pessoa que lhe passaria as respostas e esse é o maior desafio da polícia esta semana, antes mesmo da aplicação da prova para os cargos de nível médio e superior, no próximo final de semana.

Um comentário em “Polícia investiga extensão de fraude no concurso da Prefeitura de Marabá

  1. Isso mesmo Responder

    Kkkk isso é o de menos.
    Concurso pra ganhar um valor baixo desse. E a pessoa ainda faz isso kkk esse tava apelando

Deixe seu comentário