Polícia Civil prende membros de facção criminosa e desarticula rota de tráfico no Pará

Segundo as investigações, as pessoas estariam envolvidas em crimes nos estados do Pará e Ceará.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Cinco pessoas foram presas durante a operação “Guilhotina” conjunta das Polícias Civil do Pará e Ceará, realizada nesta segunda e terça-feira, 15 e 16, em Belém e Benevides, cidade da região metropolitana. A ação teve como principal objetivo cumprir mandados de prisão de lideranças de uma facção criminosa que comandava crimes no estado do Ceará e desarticulação da rota do tráfico no Pará.

Há uma semana de trocas de informações entre Policiais Civis da Divisão de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) e Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (DRACO/CE), foi deflagrada a Operação Guilhotina que deu cumprimento a dois mandados de prisão preventiva em desfavor dos líderes faccionados, em um edifício no bairro Umarizal, em Belém.

Após a captura dos líderes, a equipe se diligenciou a um sítio no município de Benevides, onde mais três membros do grupo criminoso foram autuados em flagrante e aproximadamente 600 kg de entorpecentes foram apreendidos. A droga estava armazenada em um quarto e dividida em 19 sacos, entre eles pedra de oxi e cocaína, avaliados em 9 milhões de Reais.

Para Evandro Araújo, delegado titular da DRCO, após o contato de policiais civis do estado do Ceará, foi possível identificar a localização dos principais alvos e efetuar a prisão, para chegar à autuação de outros envolvidos. “Recebemos ligações solicitando apoio para efetuar a prisão de membros de facção criminosa que atuava em vários estados do País, com pontos específicos no Ceará e Rio de Janeiro. Diante das informações, frentes de trabalho foram formadas em Belém e Benevides. Com essas prisões, conseguimos desarticular uma rota de tráfico de drogas no estado do Pará e prender os cabeças da ação”, afirmou o Delegado.

Durante coletiva de imprensa, o Delegado-geral, Walter Resende, pontuou sobre as frentes de inteligência da Polícia Civil que deram celeridade ao processo de localização dos criminosos e armazenamento das drogas. “Com as prisões efetuadas nessa operação vamos dar continuidade às investigações para identificar outros membros da associação criminosa e continuarmos o trabalho de combate à criminalidade em nosso estado, tirando de rota todo o material ilícito que impulsiona outros crimes”.

As investigações iniciaram no ano de 2018 contra o líder da facção que atuava no estado do Ceará e posteriormente se filiou também a grupos no Rio de Janeiro. Segundo o Delegado adjunto da DRACO/CE, Clever Farias, com o desenvolvimento da investigação foi constatado que ele estava residindo no Pará e tinha ligações com outros criminosos da região que forneciam drogas para o estado do Ceará. Em posse dessas informações, uma equipe da Polícia Civil do Ceará veio à capital e, com apoio dos agentes locais, efetuaram as prisões e apreenderam as drogas, como uma resposta às ações criminosas que agem nos estados da região.

Os cinco presos vão responder pelo crime de tráfico de drogas e associação criminosa. Dois indiciados, que atuavam como liderança de facção, serão recambiados ao Estado do Ceará e três autuados pela DRCO ficarão à disposição da justiça paraense. As drogas apreendidas serão encaminhadas ao Instituto Médico Legal para perícias.

(Com informações da DRCO)