Polícia Civil do Pará prende dois acusados da execução de empresário em Marabá

Um dos presos é cabo da PM maranhense e apontado como o matador do empresário Diogo Sampaio Sousa, em 20 de setembro do ano passado, em Marabá
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Em operação denominada Tora Bora, realizada simultaneamente em Parauapebas, Marabá, Tailândia e Imperatriz (MA), a Polícia Civil do Pará cumpre nesta quinta-feira (28) vários mandados de prisão e de busca e apreensão, como consequência das investigações do assassinato do empresário Diogo Sampaio Sousa, em 20 de setembro do ano passado, em Marabá.

Duas prisões foram efetuadas e os dois presos já estão em Parauapebas, mas a polícia não revelou os nomes. O que se sabe, porém, é que um deles é cabo da Polícia Militar do Maranhão e que teria sido o responsável por ter disparado o tiro que acabou com a vida de Diogo Sousa, que era empresário do setor de mineração.

Cerca de 100 policiais civis da Divisão de Homicídios, de Belém, e da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core) participam a operação, 32 dos quais estão em Parauapebas.

SAIBA MAIS:
Em Marabá a Polícia Civil investiga execução de minerador de ouro no domingo

Tora Bora é um complexo de cavernas no leste do Afeganistão, que se tornou reduto do Talibã, utilizado por forças militares contra a União Soviética durante a década de 1980.

(Caetano Silva)