Polícia Civil começa a elucidar execução de empresário em Marabá em 2019

Em Tucumã, foi preso o sócio dele, suspeito de ter sido o mandante do crime. Do início das investigações ao desfecho se passaram 520 dias
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Policiais civis da Delegacia de Homicídios de Marabá prenderam ontem, sexta-feira (14), em Tucumã, no sul do Estado, durante a Operação Gambit, o empresário José Mário Prestes. Ele é suspeito de ter sido o mandante do assassinato de seu sócio, Raul Alberto Wolf, cometido em 10 de novembro de 2019.  A execução ocorreu no estacionamento de um hotel, no Bairro Cidade Nova.

A operação, resultante de 520 dias de investigações, contou com apoio de equipes da 20ª Seccional Urbana de Polícia de Parauapebas e da Delegacia de Conflitos Agrários (DECA) de Marabá e Redenção.

Foram cumpridos seis Mandados de Busca e Apreensão na empresa Construtora e Britagem Milanos e um de prisão preventiva na casa de José Mário, onde foram encontradas munições e arma de fogo.

 Diversos documentos e objetos como celulares, notebooks, drives externos e pen drives, foram apreendidos para análise e perícia a fim de ajudar nas investigações. As apurações prosseguem pelo prazo de 30 dias, podendo ser prorrogadas.

(Com informações da Polícia Civil e do repórter Jucelino Show, de Tucumã)

Publicidade