Pará

Plano Estadual de Emprego lançado pelo governo do Pará articula ações para combater a pobreza e desigualdade social

Em resposta à matéria “Em 65 municípios paraenses, extremamente pobres são maioria da população“, a Secretaria de Comunicação do Governo do Pará (Secom) encaminhou ao Blog nota onde afirma que o governo Helder Barbalho está promovendo o combate à pobreza no Estado. Segundo a Secom, essa é uma herança da gestão anterior que vem sendo combatida através da geração de empregos nas obras espalhadas por todo o Estado, o que fatalmente tirará o Pará dessa incômoda colocação no ranking dos mais pobres (35,4% dos 8,603 milhões de paraenses são extremamente pobres porque sobrevivem com, em média, menos da metade da metade de meio salário mínimo.

Confira a nota da Secom:

O Governo do Pará trabalha em diversas frentes para garantir a retomada do emprego e renda. Os números atuais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) refletem a realidade deixada pelo governo anterior.

Uma das primeiras medidas implementadas pela atual gestão foi o lançamento do Plano Estadual de Emprego, em julho. Com ele, o governador Helder Barbalho lançou o desafio de combater o desemprego no Estado convocando todo o secretariado e parlamentares para ajudar a reduzir ao menos 20% do volume de 400 mil desempregados no Pará (segundo dados do Dieese). Para isso, cada secretaria deve usar a vocação econômica do Estado e suas especificidades nas áreas de turismo, comércio, agronegócio, obras e indústria, entre outras, para mudar o cenário, sempre priorizando a mão de obra local.

Logo após a articulação do governo, o Pará apresentou, pelo segundo mês consecutivo, saldo positivo na geração de empregos, com destaque para o setor da construção civil, que abriu 1.777 vagas, já como fruto da mobilização estadual. Na infraestrutura, com obras em todo o Pará, o governo vem combatendo o desemprego com a abertura de postos de trabalho. As obras executadas pela Secretaria de Estado de Transportes (Setran), por exemplo, já geraram, em 2019, mais de 4,5 mil empregos diretos e três mil indiretos no Pará. Somente na obra da ponte Rio Moju, são 800 novas vagas abertas. Nas frentes de trabalho de pavimentação e conservação de rodovias e pontes, são mais de três mil trabalhadores executando obras em rodízio permanente nas 130 PA’s e em mais de 700 pontes.

As obras da Nova BR, por sua vez, geram atualmente 650 postos diretos e indiretos, em nível superior, técnico e na construção civil, além da subcontratação de empresas paraenses em atividades de inteligência, engenharia, e de serviços terceirizados. Em três meses, quando os trabalhos devem alcançar o pico, a expectativa é de 1,3 mil empregos gerados somente dentro da obra. Outra obra que gera postos de trabalho é a duplicação da Rua Yamada/ Rodovia do Tapanã, que já abriu 350 vagas de emprego, principalmente para moradores da área.

Oportunidade ao jovem – Integrante do programa de campanha do governador Helder Barbalho, o programa Primeiro Ofício foi lançado no fim de agosto com o objetivo de avançar no incentivo à educação e à inserção dos jovens no mercado de trabalho. A ação articula e une esforços de 24 instituições integradas ao Fórum Paraense de Aprendizagem Profissional (Fopap), entre elas, a Secretaria de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster). A meta é alcançar 19 mil aprendizes ocupados em todo o Estado.

“Se tem algo que é determinante pra um gestor público é não perder a credibilidade diante da sociedade. Prometi em campanha e estou satisfeito de poder cumprir com a mobilização estratégica de geração de emprego e renda para o desenvolvimento do nosso Estado. E, ao lado dos jovens, conclamo a todos para que juntos possamos fazer um novo tempo no Pará”, disse o governador à ocasião do lançamento do programa. (Helder Barbalho)

Assistência e cultura – As ações oferecidas pelo programa Territórios Pela Paz (TerPaz) também fazem parte da estratégia do governo de melhorar a geração de emprego e renda no Pará. Por meio do cadastro no banco de dados do Sistema Nacional de Emprego (Sine), a mão de obra recebe intermediação do TerPaz, com o objetivo de encaminhar jovens e adultos para o mercado de trabalho, para que, posteriormente, o Sine possa realizar todo o processo de captação e recrutamento dos candidatos, de acordo com a disponibilidade de vagas nas empresas.

Na área da cultura, eventos como a 23ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Multivozes – que atraiu 410 mil pessoas – proporcionaram a criação de dois mil empregos. Com o Credcidadão, outra política pública de geração de emprego e renda, o Estado fomenta a abertura de pequenos negócios. Somente na Cabanagem, neste mês de setembro, foram entregues 63 benefícios, que variam de R$ 500 a R$ 5 mil. No Marajó, foram entregues 75 cheques do CredCidadão, no valor total de R$ 150 mil em microcrédito.

Mais recentemente, em mais uma articulação do governo, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento anunciou a habilitação de quatro frigoríficos paraenses para exportação de carne ao mercado chinês. Com essa abertura, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) estima que quase 2 mil empregos diretos e 6 mil indiretos serão abertos.

Deixe seu comentário