PF deflagra Operação Gold Rush para apurar extração ilegal de ouro no Pará

A operação foi realizada, nesta quinta-feira (9), em Itaituba, no sudoeste do Pará. Objetivo da ação é identificar extração ilegal e coletar amostras de ouro para o Banco Nacional de Perfis Auríferos
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Operação Gold Rush investiga extração ilegal de ouro no Pará

Continua depois da publicidade

A Polícia Federal (PF) realizou, na manhã desta quinta-feira (9), a Operação Gold Rush, para investigar uma organização criminosa voltada viria praticando extração ilegal de ouro no estado do Pará. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão em mineradora localizada no Distrito de Água Branca, município de Itaituba, no sudoeste do Pará.

De acordo com a PF, o objetivo da operação, que envolveu 30 agentes federais, é de identificar o local da extração mineral e coletar amostras de ouro para o Banco Nacional de Perfis Auríferos, projeto integrante do Programa Ouro Alvo. As medidas foram determinadas pelos Juízos da 1ª e 2ª Vara Federal de Jundiaí (SP).

Durante o cumprimento do mandado, uma pessoa foi presa em flagrante por posse de arma de fogo com numeração raspada. Segundo a PRF, as investigações tiveram início após apreensões de cargas de ouro em aeroportos do estado de São Paulo, em agosto deste ano.

Com a utilização de imagens de satélite do projeto Brasil M.A.I.S, ficou caracterizado o emprego indevido de Guia de Utilização, concessão que deveria ser utilizada de forma episódica e limitada durante a fase de pesquisa mineral, mas que foi empregada para dar roupagem de legalidade em transações ilícitas com um grande volume de ouro de origem “espúria”. Os investigados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de usurpação de patrimônio da União, falsidade ideológica, grilagem de terras públicas, organização criminosa e diversos outros crimes contra a flora tipificados na Lei 9.605/1998.

Tina DeBord – com informações da PF