PF deflagra Operação Caipora 4 no combate ao abuso e exploração sexual infantil no Pará

Na operação, foi dado cumprimento a um mandado de busca e apreensão na residência de um investigado pelos crimes. A operação já realizou ações em Ananindeua, Baião, Moju, Vigia e Belém
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Operação Caipora 4 cumpriu mandado de busca e apreensão em Ananindeua

Continua depois da publicidade

A Polícia Federal cumpriu um mandado de busca e apreensão na residência de um investigado por crimes relacionados ao abuso e exploração sexual infantil. A ação é resultado da operação Caipora 4, deflagrada, nesta segunda-feira (13), na cidade de Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém

A operação investiga crimes de abuso e exploração sexual infantil no Pará. Com as ações de hoje, já foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão nas cidades de Baião, Moju, Vigia, Ananindeua e Belém; seis mandados de quebra de dados telemáticos; duas prisões em flagrante e uma prisão preventiva; e feita à identificação e resgate de quatro vítimas vulneráveis de abuso sexual infantil.

Segundo a PF, o nome da operação remete a um personagem da mitologia tupi-guarani, que, no folclore brasileiro, é representado como um pequeno indígena, ágil e nu. Se confirmada a hipótese criminal, os responsáveis responderão pelos crimes de estupro de vulnerável (art. 217-A do CP), com pena que varia de 8 a 15 anos; produção de pornografia infantil (art. 240 do ECA), com pena de 4 a 8 anos; e armazenamento de pornografia infantil (art. 241-B do ECA), cuja pena é de 1 a 4 anos. Esses crimes possuem penas máximas que, se somadas, podem chegar a 27 anos de prisão.

Tina DeBord – com informações da PF