Marabá

Pesquisas divergem outra vez sobre liderança para Prefeitura de Marabá

Por Ulisses Pompeu – de Marabá A corrida rumo à Prefeitura de Marabá está cada dia mais acirrada. À medida que se aproxima o dia 7 de outubro (faltam apenas …

Por Ulisses Pompeu – de Marabá

A corrida rumo à Prefeitura de Marabá está cada dia mais acirrada. À medida que se aproxima o dia 7 de outubro (faltam apenas 12 dias), os principais concorrentes ao cargo de gestor municipal usam de todas as armas para mostrar sua força e liderança, e as pesquisas também representam esse embate político.

Pequisa Bureau de Marketing 

Ontem, segunda-feira, dia 24, o Bureau de Marketing e Pesquisa Ltda, publicou uma pesquisa em que Tião Miranda (PTB) (na estimulada) aparece com 51,67% das intenções de voto; João Salame com 37,83%; Maurino Magalhães com 2%; César do Comércio com 0,83%; Manoel Rodrigues com 0,33%; os indecisos somam 6,67%; e branco ou nulo com 0,67%.

Na espontânea, em que o entrevistador não sugere os nomes dos candidatos, Tião Miranda aparece com 44,50% dos votos válidos; João Salame (PPS) com 34,17%; Maurino Magalhães (PR) com 1,67%; César do Comércio (PRP) com 0,33%; Manoel Rodrigues (PSOL) 0,17%; não sabem e indecisos com 18,67%; e brancos e nulos 0,50%.

A pesquisa do Bureau de Marketing foi registrada na Justiça Eleitoral sob o número do protocolo: PA-00169/2012, no dia 19 deste mês de setembro. A contratante foi o Sistema Fox de Comunicação, que divulgou os dados ontem, segunda-feira. Segundo o instituto, foram ouvidos 600 eleitores e a margem de erro é de 4% para mais ou para menos.

O mesmo instituto havia realizado pesquisa no mês de agosto, quando a rejeição do atual prefeito Maurino Magalhães era de 83,44%; agora, esse índice aumentou e o gestor aparece com 84,00% de reprovação popular. Tião Miranda de 24,17%; João Salame 21,83%; César do Comércio 41,00%; e Manoel Rodrigues com 39,67%.

O plano amostral da pesquisa explica que a distribuição geográfica dos questionários foi feita da seguinte forma: Cidade Nova 35,00%; Nova Marabá 34,00%; Velha Marabá 8,40%; Morada Nova/São Félix 9,5%; zona rural com 13,1% dos entrevistados.

Pesquisa Ibrape

Por outro lado, o blog de Hiroshi Bogea divulgou ontem uma nova pesquisa do Ibrape (Instituto Brasileiro de Pesquisas de Opinião Pública), a qual foi contratada pelo próprio Ibrape e registrada no TRE sob o número PA-00128/2012, no dia 13 deste mês.

Pesquisa Ibrape

Esta pesquisa foi realizada nos dias 16 e 17 deste mês, tendo ouvido 488 entrevistados. Na estimulada do Ibrape, João Salame aparece na liderança, com 43% das intenções de votos; Tião Miranda com 40%; Maurino Magalhães com 6%; César do Comércio e Manoel Rodrigues com 1%, cada; brancos e nulos representam 4%; e os indecisos são 5%. A margem de erro, segundo o instituto, é de 4,5% para mais ou para menos.

Na pesquisa espontânea do Ibrape, Tião e João aparecem empatados com 33%, cada um; Maurino Magalhães tem 4%; e César e Manoel Rodrigues não foram citados; indecisos são 27%; e branco e nulo 3%.

A divergência acontece também quando o assunto é rejeição dos candidatos junto ao eleitorado. Maurino lidera disparado com 61%; Tião Miranda surge com 21%; João Salame com 10%; Manoel Rodrigues e César do Comércio com 3%, cada.

O Ibrape também quis saber em sua pesquisa se o eleitor vem assistindo ao programa eleitoral na televisão. Um total de 59% disse que não vem assistindo e 41% dos eleitores dizem que assistem.

Novas pesquisas deverão ser divulgadas na próxima semana, considerada decisiva para definição do resultado das eleições. Nela, poderá haver mudanças, em consequência do debate realizado na última sexta-feira, dia 21. O eleitor deve analisar com cuidado e decidir de acordo com as propostas dos candidatos para a comunidade como um todo, e não apenas para uma área específica da cidade.

5 comentários em “Pesquisas divergem outra vez sobre liderança para Prefeitura de Marabá

  1. aculto Responder

    joão salame ta forte mais pra ele roubar esse titulo do tião ele vai ter que fazer um pouco mais de esforço tiiiiiiãaaoooo vai lá “14”

  2. Marabá Responder

    Tem que julgar todos os coruptos do PT, principalmente os da nossa região, tipo a BERNADETH RAINHA da licitação no INCRA, e o ex – marido da vereadora TOINHA DO PT,e o atual MARIDO da Vereadora TOINHA do PT, acusado e afastado do INSS de Marabá por desvios de recursos dos aposentados.

  3. guri Responder

    essas pesquisas ai esta igual as dos Ptralhas aqui no peba empate tecnico. e nao rua vc mal ver um voto deles hehehehehe. e taca de da em doido no minimo 15 mil votos de lambuja o pt vai pega.hehehhe

  4. Anonimo Responder

    “O candidato a prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), concedeu entrevista ao telejornal SPTV da TV Globo, no sábado, e deu respostas demolidoras ao jornalista Cesar Tralli, que só fez perguntas venenosas com intenção de embaraçar.

    Haddad tirou de letra.

    Na primeira pergunta, sobre se o mensalão não o constrangia, Haddad disse que constrange a classe política como um todo, porque quase todos os partidos tem gente respondendo processos. Disse que gostaria que a justiça fosse até o fim em todos os casos, e que o mensalão nasceu no PSDB de Minas, e vem sendo postergado, com risco de prescrição, por ser mais antigo, de 1998…

    Eis a transcrição completa:

    César Tralli – Candidato, boa tarde.

    Fernando Haddad – Boa tarde, Tralli.

    César Tralli – Candidato, políticos importantes do seu partido estão sendo julgados e um deles já foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por crimes graves como corrupção, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha. Isso não constrange o senhor? Não põe em xeque o discurso sobre ética?

    Fernando Haddad – Olha, constrange a classe política de uma maneira geral porque políticos de todos os partidos estão respondendo a processos. E eu gostaria muito que a Justiça fosse até o fim em todos os casos. Não apenas em relação ao PT, mas também em relação ao PSDB. Você sabe que o chamado mensalão nasceu em Minas Gerais, e o jugamento do mensalão de Minas está sendo postergado. E há um risco de prescrição em função das datas em que os crimes foram cometidos. Porque o mensalão do PSDB é muito anterior, é de 1998, é seis anos anterior. Então, desde que todos sejam julgados, garantido o amplo direito de defesa e punidos de acordo com o que fizeram, eu penso que as instituições saem fortalecidas. Agora, se a Justiça se fizer para uns, e não se fizer para outros, eu penso que a democracia vai sair enfraquecida. Nós não podemos seguir o princípio: aos inimigos a lei, aos amigos, tudo, como se diz. Então, vamos colocar o país a limpo, estamos de acordo, e as pessoas que erraram devem ser julgadas e se for comprovado o erro, tem que ser punidas. Não vejo problema nenhum em relação a isso.”

Deixe seu comentário