Parauapebas: Prefeitura lança ação de conscientização sobre o autismo

A inciativa tem o objetivo de sensibilizar a população e fornecer instrumentos para o acolhimento das pessoas diagnosticadas com Transtorno do Espectro Autista
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A Prefeitura de Parauapebas realizará, na próxima quinta-feira (29), a 1ª Mostra Artística/cultural “Respectro”, em alusão ao mês de conscientização sobre o autismo. As ações serão realizadas na Policlínica Municipal e o evento contará com a participação especial dos usuários, familiares, profissionais da saúde e da Associação de Pais e Amigos dos Autistas (Apaut).

A exposição das produções artísticas e culturais manterá um distanciamento seguro entre as obras para apreciação dos convidados. Com o tema Autismo: “Respeito para todo o espectro”, a ação tem como objetivo sensibilizar a população do município para as características da condição, fornecendo instrumentos para o diálogo e o acolhimento das pessoas diagnosticadas com Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Usa-se o termo “espectro”, pelos vários níveis de comprometimento. Há desde pessoas com outras doenças e condições associadas (comorbidades), como deficiência intelectual e epilepsia, até pessoas independentes, com vida comum, algumas nem sabem que são autistas, pois jamais tiveram diagnóstico.

 “A conscientização é muito importante para garantir a inclusão. É por meio da informação que vamos garantir um convívio social acolhedor para o autista”, destaca Mayara Monteiro, coordenadora CER II (Centro Especializado em Reabilitação II).

“É muito importante mostrar as características desta condição especial, destacando que não é uma doença, bem como, alertar para as dificuldades enfrentadas pelas famílias, já que o transtorno ainda não é bastante desconhecido pela população”, avalia.

“Acabar com o estigma e preconceito também são objetivos essenciais para o desenvolvimento de diferentes atividades voltadas para a temática”, explica Gilberto Laranjeiras, secretário municipal de Saúde.

Diagnóstico e atendimento na rede

A porta de entrada de pacientes com autismo na rede pública de saúde é a unidade básica de saúde (UBS). O diagnóstico é feito a partir do relato dos pais e avaliação médica. O autismo é uma síndrome de difícil diagnóstico, por isso, a partir do momento que a família suspeitar, ela será orientada e atendida inicialmente na UBS e depois, encaminhada para o serviço especializado se houver a necessidade e demandas específicas do paciente.

Hoje, os pacientes com grau classificado como leve e moderado são atendidos no CER. Já os casos considerados graves e gravíssimos são encaminhados para os CAPS.

CER

É um centro especializado em reabilitação física e também intelectual. Por isso é o lugar referência na assistência a crianças com autismo e outras necessidades. Elas recebem atenção humanizada voltada à saúde mental, além de estímulos ao desenvolvimento global como um todo.

Sobre o Transtorno

O autismo é um transtorno de desenvolvimento que prejudica a capacidade de se comunicar e interagir. Afeta o sistema nervoso e seu alcance e gravidade podem variar de pessoa para pessoa. Os sintomas mais comuns incluem dificuldade de comunicação, dificuldade com interações sociais, interesses obsessivos e comportamentos repetitivos.

O reconhecimento precoce, assim como as terapias comportamentais, educacional e familiar podem reduzir os sintomas, além de oferecer um pilar de apoio ao desenvolvimento e à aprendizagem.

(Fonte: Ascom PMP)

Publicidade