Parauapebas acelera praça, prolongamento de rua e centro comunitário

Empreendimentos do governo municipal têm potencial de contratar até 100 trabalhadores da construção civil e incrementar R$ 177 mil mensalmente em salários ao longo dos contratos.
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

Vários atos do governo de Darci Lermen, por meio da Secretaria Municipal de Obras (Semob), publicados na edição desta segunda-feira (2) do Diário Oficial da União (DOU) agilizam ações de infraestrutura aguardadas em diversas comunidades, visando à melhoria da qualidade de vida da população. Uma das mais importantes é a construção de uma praça no Bairro Cidade Jardim, para cuja empreitada a empresa ganhadora foi anunciada oficialmente hoje (veja aqui).

A construtora RA Queiroz Serviços venceu a concorrência da licitação de número 2/2019-003, organizada pela Semob, por se predispor a construir a praça por R$ 1.196.201,31, proposta mais vantajosa para os cofres públicos. A licitação, na modalidade tomada de preços, foi um verdadeiro deus nos acuda porque teve nada menos que 13 concorrentes, quatro das quais desclassificadas por infringir regras do edital do processo. As empresas ISO, R & A, Mathias Construções e RM Abdalla foram limadas.

As demais — RA Queiroz, Reti Pré-Moldados, Designe, RR Cruz, Sul Elétrica, HB20, JVX, F de Souza & Paixão e Construtora F & F — ficaram no páreo, emboladas em ofertas que variam de R$ 1,196 milhão (como a ganhadora, da RA Queiroz) até R$ 1,45 milhão (da F & F). O Blog do Zé Dudu levantou que a obra tinha custo inicial estimado em R$ 1.551.909,08, com recursos próprios. A licitação da praça teve edital publicado em fevereiro, mas só agora caminha para virar realidade.

Prolongamento da Rua E

A Prefeitura de Parauapebas também declarou a ganhadora do prolongamento da Rua E, no trecho entre o viaduto e a frente do lago do Bairro Nova Carajás, paralelo à PA-275. A Designe Engenharia ofereceu R$ 1.642.454,02 e ganhou o contrato (confira aqui) da licitação de número 2/2019-005, que tinha valor inicial de R$ 2.004.222,64. A Designe, que está presente a quase todas as licitações de obras civis do governo Darci, fez calar os preços das empresas Sul Elétrica (R$ 1.720.526,78), Laca (R$ 1.808.485,72), Transvias (R$ 1.934.690,35) e Etec (R$ 2.003.548,52).

Novo centro comunitário

No Bairro Primavera, a Secretaria de Obras deve iniciar em breve a construção de um centro comunitário, por meio do processo de tomada de preços de número 2/2019-010. Nesta segunda-feira, o processo deu mais um passo com o anúncio da habilitação de empresas que participam do certame (veja aqui).

Continuam na disputa pelo contrato estimado em até R$ 1.743.745,51 uma ruma de construtoras (13 ao todo): RM Abdalla, F & F, R & A, RR Cruz, RA Queiroz, Reti Pré-Moldados, LL Soluções, PHD Matos, NG Paisagismo, 2P Serviços, JVX, GHL e Index Expertise. Já para a empresa Miranda & Farias Construções não será desta vez: ela foi inabilitada porque, segundo a Comissão Permanente de Licitação (CPL) da prefeitura, “apresentou a declaração de aceite do responsável técnico sem anuência do profissional”, descumprindo o edital do certame.

O Blog do Zé Dudu estima que, quando estiverem assentando os primeiros cimentos, as três obras reportadas devem gerar cerca de 100 postos de trabalho na construção civil e injetar algo em torno de R$ 177 mil mensais em massa salarial.

Relacionados