Manifestantes interditam PA-263, na Barragem de Tucuruí

Eles são mais de 300, fazem parte da Associação das Populações Atingidas pelas Obras do Rio Tocantins e reivindicam indenizações e compensações
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

Mais de 300 integrantes da Associação das Populações Atingidas pelas Obras do Rio Tocantins (Apovo), entre índios assurinis, quilombolas e ribeirinhos, interditam na manhã desta segunda-feira (2), em dois locais a rodovia estadual PA-263, sobre a Hidrelétrica de Tucuruí. A cada hora, a pista é liberada por 10 minutos.

“A manifestação é para cobrar os direitos que há anos pedimos, como indenizações e compensações da época da construção da Usina Hidrelétrica. Entre elas a compensação pelo uso de areia da Praia Gaviões na construção da hidrelétrica; passivos a expropriados e compensação aos atingidos à jusante da hidrelétrica”, detalha Ademar Silva. Conforme dados da Apovo, mais de 50% dos demandantes (3.457) no processo que envolve 5.700 expropriados não foram inseridos por diferentes razões.

Por volta de 9h, o juiz Hugo Leonardo Abas Frazão, do Tribunal Regional Federal da Primeira Região, passou no local e pediu serenidade aos manifestantes, que solicitam audiência com a Justiça Federal e Ministério Público Federal para selar um acordo da pauta reivindicatória.

No mês passado, no dia 11, o movimento fechou a estrada por mais de seis horas. O comando da CPR IV da Polícia Militar enviou um contingente para o local interditado, considerado de Área de Segurança Nacional.

Por Antonio Barroso – correspondente do Blog na região do Lago de Tucuruí

Publicidade

Relacionados