Pará encerrou 2018 com a maior produção industrial do Brasil, diz IBGE

Efeito S11D repercute em todas as estatísticas econômicas do estado, da balança comercial à atividade industrial, conforme já adiantado pelo Blog. Inclusive, Pará vai continuar crescendo em 2019.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Depois do sucesso no avanço do projeto S11D, em Canaã dos Carajás, o Pará encerrou 2018 como o lugar do país onde a produção industrial mais avançou, do ponto de vista físico. Com taxa de crescimento da ordem de 9,6%, a indústria paraense é sustentada, em 90%, pela extração de minérios, com destaque para o ferro e o cobre.

Nesta sexta-feira (8), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou os números fechados de 2018 da Pesquisa Industrial Mensal (PIM) que reforçam as divulgações feitas pelo Blog, segundo as quais Canaã dos Carajás chegará a ser o principal município do país, do ponto de vista da produção de riquezas. Está no município o empreendimento industrial que mais gera retorno imediato no país, sob o crivo da empresa brasileira que mais exporta, a multinacional Vale.

Entre as 15 regiões pesquisadas, o Pará é o que mais avança na produção industrial, conduzida pela indústria do ferro. Além de Canaã, há extração do minério em Parauapebas e em Curionópolis. Como o Blog já havia antecipado (veja aqui), a produção em Canaã aumentou em conformidade com o programado pela Vale, o chamado “ramp-up”, enquanto a produção em Parauapebas caiu. Este ano, o nível de atividade industrial do Pará continuará a crescer acompanhando o cronograma de expansão de S11D.

Considerando-se todos os 15 locais pesquisados pelo IBGE, o Brasil apresentou crescimento industrial médio de 1,1% ao longo de 2018, mas estados como Goiás (-4,5%), Minas Gerais (-1%), Espírito Santo (-0,9%) e Mato Grosso (-0,1%) fecharam em queda.

Publicidade