Pancadaria, tiros, cinco presos e um freezer e um fogão “baleados” em um Costas pra Rua

O bafafá todo ocorreu na madrugada desta quarta-feira (8). Felizmente – infelizmente para a dona -, só os utensílios domésticos foram atingidos pelos disparos feitos a esmo
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Um bafafá, ocorrido por volta das 2h da madrugada desta quarta-feira (8), com direito a pancadaria e tiros disparados a esmo, que acabaram atingindo o freezer e o fogão de uma comerciante, levou para a Delegacia de Polícia Civil de Parauapebas os irmãos Rui e Raí Silva dos Santos e ainda Kelson Fernandes Gomes Rocha, Caio Wellington Almeida e Élcio Lopes dos Santos, conhecido como Índio. O fuzuê aconteceu no Bairro Cidade Nova, em uma das barracas da área conhecida como “Costas pra Rua”.

A confusão teve origem em uma colisão entre dois veículos, quando os irmãos Rui e Raí entraram e luta corporal contra Kelson e Caio. No meio da briga, um revólver calibre 38 caiu no chão e foi apanhado por Índio, que passou a disparar em direção às pessoas que estavam no local, causando alvoroço.

A PM foi chamada e, ao chegar, sé encontrou os irmãos, com várias escoriações pelo corpo, resultado da luta corporal com os adversários, que já haviam ido embora. Os policiais diligenciaram nas redondezas e, na Rua 10, prenderam Kelson Rocha e Caio Almeida. Em seguida, acabaram também capturando Índio, que ainda estava com o Trezoitão na cintura.

Todos foram levados para a 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, para esclarecer a participação de cada um na balbúrdia, onde a dona da barraca afirmou ter sido Índio que disparou a arma, cujas balas danificaram o freezer e o fogão dela. Este, por sua vez, passou a chorar, negando que tenha atirado: “Se alguém jogasse uma arma fora e você achasse você não pegaria? Sou inocente, a única coisa errada que fiz, foi apanhar a arma e sair do local”, lamentou, mas não sensibilizou o coração do delegado de plantão.

(Caetano Silva)