Pacajá se posiciona entre gigantes do mercado de trabalho no Brasil

Por sua vez, Parauapebas apresenta maior saldo de janeiro a abril, com média de 26 novas contratações por dia ou 1 a cada 55 minutos. Canaã dos Carajás e Marabá também triunfam
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Deu Pacajá, de novo, na liderança paraense da geração de empregos com carteira assinada, segundo apurou o Blog do Zé Dudu com base em dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) recém-divulgados pelo Ministério da Economia. O município da Transamazônica, antes esquecido no mapa do país, vem ocupado lugar de destaque em razão de obras públicas e do linhão de transmissão de energia de Belo Monte, que têm arregimentado centenas de trabalhadores e movimentado a economia local.

O vuco-vuco é tão grande na cidade que trabalhadores desempregados se tornaram espécie em extinção e Pacajá está sendo obrigado a fazer “importação” de mão de obra. As informações foram levantadas pelo Blog do Zé Dudu.

Em abril, Pacajá consolidou, de acordo com o Ministério da Economia, 1.153 vínculos líquidos de emprego com carteira assinada, sendo o 16º maior gerador de postos formais do Brasil. Das 27 capitais do país, só 9 abriram mais empregos que Pacajá. Nem mesmo metrópoles com mais de 1 milhão de moradores — como Fortaleza, Curitiba, Belém, Porto Alegre e Maceió — foram páreo para o município de 50 mil habitantes, cuja maior parte deles vive na zona rural.

Pacajá surrou também Parauapebas, que aparece em 2º lugar no Pará e em 26º no Brasil, com 888 postos celetistas criados em abril. No acumulado do ano, porém, Parauapebas está em situação melhor, com impressionantes 3.088 novos empregos criados (um a cada 55 minutos, entre janeiro e abril), enquanto Pacajá vem na 2ª posição, com 1.918 (um novo emprego a cada uma hora e meia).

Canaã dos Carajás, com 313 empregos, e Marabá, com 276, foram os 3º e 4º que mais empregaram no estado em abril, também com bons volumes de trabalhadores engajados, mostrando que o cinturão geográfico entre Pacajá e Canaã dos Carajás é, hoje, certamente um dos mais prósperos do Brasil.

MUNICÍPIOS DO PA QUE MAIS EMPREGARAM EM ABRIL (saldo)

1º Pacajá: 1.153

2º Parauapebas: 888

3º Canaã dos Carajás: 313

4º Marabá: 276

5º Santarém: 174

6º Dom Eliseu: 133

7º Barcarena: 128

8º Castanhal: 115

9º Itaituba: 105

10º Tomé-Açu: 103

MUNICÍPIOS DO PA QUE MAIS DEMPREGARAM EM ABRIL (saldo)

10º Vigia: -17

9º Curuá: -18

8º Benevides: -19

7º Itupiranga: -20

6º Portel: -20

5º São Miguel do Guamá: -26

4º Santana do Araguaia: -27

3º Oriximiná: -28

2º Moju: -63

1º Ananindeua: -100

Publicidade