Parauapebas

PAC II: Parauapebas e CEF assinam convênios superiores à R$72 milhões

Aconteceu durante a manhã de hoje (7) nas dependências da PMP, solenidade de assinatura de convênios entre a Caixa Econômica Federal e a Prefeitura de Parauapebas relativos ao Plano de …

image Aconteceu durante a manhã de hoje (7) nas dependências da PMP, solenidade de assinatura de convênios entre a Caixa Econômica Federal e a Prefeitura de Parauapebas relativos ao Plano de Aceleração do Crescimento – PAC II, nas modalidades Urbanização de Assentamentos Precários e Apoio à Sistemas de Abastecimento de Água, que visam melhorias no município de Parauapebas. Foram dois projetos que juntos perfazem um montante de R$72.252.390,40 (setenta e dois milhões, duzentos e cinquenta e dois mil, trezentos e noventa reais e quarenta centavos).

O evento contou com a presença do prefeito Darci Lermen, vice, Afonso Andrade, superintendente regional da Caixa Econômica Federal, Noêmia de Souza Jacob , Secretário Municipal de Obras, José das Dores Couto, Secretário de Habitação, Antônio Neto, gerente de relações institucionais da Vale, Luiz Veloso, vereadores Euzébio, Wolner, José Alves, Odilon, Wolner, Miquinhas, Percília e Adelson, gerente da agência da CEF em Parauapebas, Amilton Farias, servidores municipais e populares em geral.

Os projetos
1 – o primeiro projeto prevê a urbanização da área do Morro do Chapéu, próximo ao bairro Casas Populares, com a remoção dos moradores da área e a construção de 1.008 apartamentos de aproximadamente 42 m² de área cada que receberão cerca de 5.040 habitantes que hoje moram em condições sub-humanas na área denominada Morro do Chapéu. O projeto, orçado em R$56.400.490,19 (cinquenta e seis milhões, quatrocentos mil, quatrocentos e noventa reais e dezenove centavos) tem a previsão de entrega de 18 meses, contados a partir da liberação da ordem de serviço emitida pela CEF e contará com infra-estrutura prevista na legislação, tais como, drenagem de água pluvial, pavimentação, água, esgoto e iluminação pública. As fontes dos recursos são oriundas do Orçamento Geral da União e do Fundo de Arrendamento Residencial –  FAR.

O projeto, elaborado e custeado através da parceria entre a SEMOB e a mineradora Vale, prevê ainda a remoção dos moradores daquela área para local a ser disponibilizado pela PMP onde os mesmos ficarão alojados até a conclusão da obra; a construção de uma escola infantil; um posto de saúde; uma fábrica social para atender e gerar recursos para os moradores; e dois blocos com pontos comerciais para que os atuais comerciantes da área continuem com seu labor.

2 – o segundo projeto, também desenvolvido através da parceria SEMOB/Vale,  será a construção do sistema de captação e abastecimento de água do Complexo Caetanópolis, que prevê a construção de uma balsa de captação de água e rede adutora de água bruta de 400 mm; construção de Estação de Tratamento de Água com a tecnologia de Dupla Filtração em estrutura metálica possuindo filtros ascendentes e descendentes, tanque de contato e adutora de água tratada com capacidade de tratamento de cerca de 432 m³/h, com um baixo custo operacional e com perspectiva de ampliação; de um reservatório apoiado com capacidade para 2.500.000 (dois milhões e meio) de litros de água; instalação de 22.852 (vinte e dois mil oitocentos e cinqüenta e dois) mil metros de tubulação para a distribuição de água para o atendimento dos bairros Caetanópolis, Guanabara, Jardim América I e II e Morada Nova, com cerca de 6.000 (seis) mil ligações domiciliares de água, instalação de hidrômetros nos domicílios, visando diminuir as perdas no sistema.

A obra, orçada em 15.851.900,21 (Quinze Milhões Oitocentos e Cinquenta e Um Mil Novecentos Reais e Vinte e Um Centavos)  tem a previsão de implantação para os próximos oito meses, podendo levar até doze meses para ser entregue e atenderá uma população estimada de 60 mil pessoas .

Discursos

PAC II 1Franqueada a palavra, o gerente de relações institucionais da Vale, Luiz Veloso, ratificou que a Vale estará sempre de portas abertas para parcerias que visam contribuir para a melhoria das condições de vida da população onde opera.

O presidente da Câmara Municipal de Parauapebas, Euzébio Rodrigues disse estar contente com esse momento de ganho para a população mais carente de Parauapebas, e que esse momento mostra a harmonia entre os poderes Legislativo e Executivo que buscam juntos resolver a situação da população parauapebense.

O secretário de Habitação, Antônio Neto, visivelmente satisfeito disse que os convênios hoje assinados são grandes, não só em recursos, mas em atendimento à comunidade e na melhoria da qualidade de vida dos beneficiados.

O Secretário de Obras, José das Dores Couto, disse que a melhoria de vida da população e o resgate da cidadania sãos as grandes marcas desse governo, pelo qual ele se orgulha de trabalhar. Coutinho informou que Parauapebas está sendo palco de 42 obras simultâneas no momento, e que “todas elas mostram o volume de trabalho e visam a melhoria nas condições de vida da população”. Couto fez questão de agradecer a todos que, de forma direta ou indireta, participaram da elaboração dos projetos, em especial a toda equipe SEMOB, que diuturnamente trabalhou  para concluí-los.

A superintendente da CEF, Noêmia de Souza Jacob lembrou de sua primeira visita a Parauapebas, há cerca de oito anos, dizendo que já naquela época a grande preocupação do governo que se iniciava era com o fornecimento de água à população. Noêmia citou as responsabilidades de cada parceiro, concluindo ser missão da Caixa Econômica Federal buscar tais parcerias que visam a melhoria da condição de vida da população.

Finalizando, o prefeito Darci Lermen fez questão de anunciar que negociações estão sendo mantidas para que uma nova agência bancária da CEF seja instalada em Parauapebas. Lermen agradeceu nominalmente à cada secretário pelo empenho para entrega dos projetos que tanto contribuirão com a população daquelas localidades.

Se dirigindo exclusivamente ao representante da mineradora Vale, o prefeito disse reconhecer e gostar da parceria com a empresa, alegando que “toda a briga com a mineradora é no sentido de trazê-la para mais próxima de nós. Hoje, Vale e prefeitura têm um diálogo que provoca segurança no desenvolvimento da região”, afirmou Darci.

O prefeito fez questão de dizer que esses dois projetos não serão inaugurados por ele, todavia ele tem a obrigação de iniciá-los, na certeza de que o município será contemplado com um prêmio quando concluídos. Sobre o projeto de construção do sistema de abastecimento de água no Complexo Caetanópolis, Darci disse estar muito satisfeito pois o abastecimento de água é um dos gargalos do governo municipal.

13 comentários em “PAC II: Parauapebas e CEF assinam convênios superiores à R$72 milhões

  1. Rony b. Responder

    …,sou marador do bairro morro do chapéu, citado acima, e até o momento nada foi feito nem mesmo abertura de ruas para facilitar a vida das pessoas que ali residem, para onde foi este dinheiro????????????

  2. anônimo Responder

    Espera-se que a prefeitura fiscalize as empresas que prestarão essas obras, pois o que se vê na cidade são serviços de péssima qualidade, parece que não há fiscalização nas obras. Logo tudo se acaba.

  3. Tiago Cassiano Responder

    Tomara que as obras saiam mesmo o povo de Parauapebas merece pois tem tantos investimentos tem que aparecer obra para povo fica contente kkkkk bom dia a todos…..

  4. Nome (obrigatório) Responder

    hehehehe, com certeza… adeus ano velho feliz ano novo que tdo se realize no ano que vai nascer… MTO DINHEIRO NO BOLSO…kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…
    mas ñ vms ser céticos… tomara que realmente essa obra seja realizada, o peba ta precisando…

  5. anonimo Responder

    Ai meu deus, verba federal!!xíi, atras dela sempre vem a policia federal,ministerio publico federal e pode dar em presidio federal!Será que o macaco vai resistir a tentação de meter a mão na cumbuca?

  6. robson cunha do nascimento Responder

    Caro amigo Zé Dudu, caso a consecução das obras previstas nos convênios assinados não sejam rigorosamente fiscalizados, fatalmente teremos a seguinte notícia em seu Blog daquí há dois anos: “A Assembleia Legislativa instalou nesta quarta-feira (7) uma Comissão Parlamentar (CPI) para investigar, no prazo de 120 dias, a celebração, execução e o destino de R$ 73 milhões, frutos dos convênios 004/09, 2149/09, 005/09, 2150/09, 007/09 e 529/09, celebrados entre o governo do Estado do Maranhão e a Prefeitura de São Luís, para a construção de obras públicas de infraestrutura, em diferentes pontos da capital maranhense”. Logicamente com as alterações que o caso futuro irá requerer, a CPI será instalada na futura Câmara de Vereadores de Parauapebas, pois a que aí está não investiga nada, ao contrário, é digna de uma severa investigação. Aguardem!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Deixe seu comentário