Operação combate captura ilegal de caranguejo em Soure

Polícia Civil e Secretaria de Meio Ambiente estão atentos durante o período de defeso dos crustáceos, conhecido como andada
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Com o objetivo de proteger os caranguejos durante o período reprodutivo, conhecido como andada, a Polícia Civil em Soure, no Arquipélago do Marajó, realizou operação nas áreas das praias de Céu e Caju-Una, na quinta-feira (16). A data marca o encerramento do primeiro período de Defeso do Caranguejo Uça, que se iniciou no último dia 11.

A operação foi coordenada pela Superintendência da 5ª Risp (Região Integrada de Segurança Pública), sob o comando do delegado David Bahury, que envolveu equipes de plantão e do NAI (Núcleo de Apoio à Investigação). “Sem ter autorização legal, quem for flagrado fazendo a captura, transportando ou beneficiando o produto no período estabelecido de defeso, pode ter a carga apreendida e ser obrigado a pagar multa de até R$ 500,00 por crustáceo”, adverte o delegado.

Na região de Soure, a captura do crustáceo estará proibida nos dias 10 a 15 de fevereiro e 10 a 15 de março. A secretária de Meio Ambiente de Soure, Dirlene Silva, explica que mesmo com as datas oficiais de proibição, também se estende ao período da lua cheia e lua nova. “É crime ambiental. Quem for pego capturando caranguejos na lua nova, quando a andanda pode voltar a ocorrer, será multado”, alerta.

No período de reprodução do caranguejo, machos e fêmeas saem de suas tocas e andam pelo manguezal, para reprodução e liberação de ovos, ficando mais vulneráveis à captura indevida. “Por isso realizamos essa operação, em que, a priori, não constatamos a captura ilegal”, afirma o delegado.

(Antonio Barroso)

Publicidade