Operação “Cabeças” prende integrantes de facções criminosas

A operação foi deflagrada nesta terça-feira (22) e envolveu forças de segurança do Pará, Goiás, Amazonas e Santa Catarina. Foram presos quatro integrantes de organizações criminosas e um morreu em confronto com policiais durante a ação
Foto: Polícia Civil

Continua depois da publicidade

Uma operação que envolveu força de seguranças do Pará, Goiás, Amazonas e Santa Catarina prendeu, nesta terça-feira (22), integrantes de facções criminosas que com atuação nos quatro estados. Foram presos quatro membros das organizações criminosas e um quinto integrante morreu em confronto com policiais durante a ação.

Os detalhes sobre a operação, batizada de “Cabeças”, que mobilizou policiais dos quatro estados, será dada em uma coletiva à imprensa, que está marcada para as 17 horas na sede da Delegacia-Geral, em Belém. A entrevista será conduzida pelo Secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Ualame Machado e contará com a presença do Comandante-Geral da Polícia Militar, coronel Dílson Júnior, e delegado-geral, Walter Resende.

Ao todo, cerca de 20 policiais civis do Pará se deslocaram para os estados do Amazonas, Goiás e Santa Catarina, onde foi deflagrada a operação “Cabeças”, na manhã desta terça-feira (22). A ação teve como principal objetivo cumprir mandados de prisão de lideranças de uma facção criminosa de âmbito nacional que, mesmo à distância, organizavam e comandavam crimes no Pará. A investigação durou cerca de um ano.

 Os policiais civis foram divididos em cinco equipes com quatro agentes cada, sendo que oito foram enviados para Goiás, oito para o Amazonas e quatro para Santa Catarina. De forma integrada e com total apoio das Polícias Civis dos demais estados, simultaneamente, a operação foi deflagrada com a prisão do vice-presidente da facção, que foi realizada em Santa Catarina, e um membro que estava como foragido foi capturado em Manaus.

Outro integrante do grupo morreu durante intervenção policial em Manaus. “O presidente do grupo criminoso não foi localizado na fazenda onde as investigações apontavam que o mesmo estava, mas, no local, foi preso o irmão dele, que também estava foragido. A equipe foi levada até a casa dele em Goiânia, onde foi constatado que o mesmo estaria indo para o Rio de Janeiro, de carro, já identificado. A informação foi passada à PRF, que realizou a abordagem e prendeu o principal alvo da operação”, infirmou o delegado-geral, Walter Resende.

(Tina Santos- com informações da Polícia Civil)