Operação Amazônia prossegue em quatro Estados da Amazônia

Três mil militares foram mobilizados para participar das operações no Amazonas, Pará, Acre e Rondônia
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Tropas da Operação Amazônia 2020

Continua depois da publicidade

Brasília – Organizada pelo Ministério da Defesa, prossegue até o dia 28 de setembro, nos estados do Amazonas, Pará, Acre e Rondônia, a Operação Amazônia 2020. É o maior exercício militar realizado este ano pelo Comando Militar da Amazônia (CMA) e contará com diversas tropas de outras regiões do país, incluindo uma bateria completa do sistema Astros 2020, demonstrando assim a enorme capacidade logística do Exército Brasileiro.

A Operação Amazônia é um exercício inserido no Programa de Adestramento Avançado de Grande Comando (PAA G Cmdo), previsto no plano de gestão do Comando Militar da Amazônia (CMA), envolvendo mais de 3.000 militares da Marinha, Exército e Aeronáutica que foram mobilizados para participar da Operação, e vieram das tropas de cinco Comandos diferentes.

A Operação Amazônia foi pela terra, água e ar, em 4 estados da Amazônia

O objetivo é manter a capacidade operativa das tropas na região a fim de garantir a soberania nacional, aprimorar o trabalho conjunto das Forças Armadas, além de aumentar o apoio às comunidades ribeirinhas, por meio de ações cívico-sociais as ACISO.

No último dia 06 de setembro de 2020 foi realizada a primeira formatura com todo o contingente que comporá a Força Tarefa Componente (FTC) que executará a Operação Amazônia.

Exercício da Operação Amazônia

Nesta oportunidade, o General de Exército Estevam Cals Theophilo Gaspar de Oliveira, que assumiu o posto de Comandante Militar da Amazônia em 25 de novembro de 2019, ambientou a tropa no contexto do teatro de operações.

Logo após, foi realizado o desfile, composto por viaturas, aeronaves e embarcações que serão empregadas na operação.

A 2ª Brigada de Infantaria de Selva (2ª Bda Inf Sl) , com um efetivo de 241 militares do Comando Fronteira Rio Negro/5° Batalhão de Infantaria Selva, 2° Batalhão Logístico de Selva, Companhia de Comando, 21ª Cia Engenharia de Construção e 2° Pelotão de Comunicações de Selva, embarcou em São Gabriel da Cachoeira (AM) na manhã do dia 31 de agosto em uma embarcação civil, tipo ferryboat com capacidade de 450 passageiros, e aportou no Centro de Embarcações do Comando Militar da Amazônia (CECMA), em Manaus (AM), no dia seguinte ás 20h38s.

Embarcação ferryboat aportou no Centro de Embarcações do Comando Militar da Amazônia (CECMA), em Manaus (AM)

No dia 3 de setembro, foi a vez do Módulo Logístico da Companhia de Comando e Apoio do Comando de Fronteira Solimões / 8º Batalhão de Infantaria de Selva (Cia C Ap/Cmdo Fron Solimões/8° BIS), chegar ao CECMA.

Todas as tropas e equipamentos passam por diversos processos de triagem e de desinfecção assim que aportam no CECMA, como forma de prevenir uma possível contaminação de COVID-19.

Mesmo com a pandemia de COVID-19 o Exército não para, mas sempre com responsabilidade, tomando todas as medidas preventivas possíveis, como examinar cada militar que desembarca.

Operação Amazônia mobilizou 3 mil militares

Operação Amazônia mobilizou 3 mil militares

O 3º Batalhão de Infantaria de Selva (3º BIS) embarcou sua tropa em Barcelos (AM) na madrugada do dia 1º de setembro e o 6º Batalhão de Engenharia de Construção (6º BEC) iniciou seu deslocamento de Boa Vista (RR) para Manaus (AM), na madrugada do dia 2.

O contingente da a 16ª Brigada de Infantaria de Selva (16ª Bda Inf Sl), composta por 237 militares da guarnição de Tefé (AM) e 150 militares da guarnição de Tabatinga (AM), totalizando 387 militares também está a caminho.

Astros 2020

No dia 03 de setembro, desembarcaram no Centro de Embarcações do Comando Militar da Amazônia (CECMA), as viaturas Astros 2020 da Bateria do 6º Grupo de Mísseis e Foguetes (6º GMF). Essas viaturas percorreram cerca de 2.000 Km, por via terrestre, até Belém (PA), e mais 1.600 km, via fluvial, até Manaus (AM), para serem empregadas na Operação Amazônia.

Foram empregados na operação baterias de foguetes dos modernos Astros 2020

Reportagem: Val-André Mutran – Correspondente do Blog do Zé Dudu em Brasília.

Publicidade

Posts relacionados