No Pará, 875 mil podem ter sido visitados por coronavírus em maio sem saber

Estado é campeão disparado de habitantes que apresentaram sintomas clássicos conjugados que insinuam Covid-19, como perda de olfato e paladar, dificuldade para respirar e dor no peito
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Os números não são conclusivos, mas impressionam. Nos 31 dias de maio, um em cada cinco paraenses apresentou algum sintoma de síndrome gripal, mesmo sem ter ideia de que tenha sido infecção pelo novo coronavírus ou não. Ao todo, cerca de 1,84 milhão de paraenses teriam “gripado” no mês passado, tendo apresentado algum dos sintomas clássicos (febre; tosse; dor de garganta; dificuldade de respirar; dor de cabeça; dor no peito; náusea; nariz entupido ou escorrendo; fadiga; dor nos olhos; perda de cheiro ou de sabor; e dor muscular).

As informações foram levantadas pelo Blog do Zé Dudu, que analisou os microdados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) sobre a Covid-19 implementada de forma inédita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para auxiliar no traçado da pandemia no Brasil.

Com 8,69 milhões de habitantes em 2020, o Pará é apenas o 9º mais populoso do país, mas foi o 3º em número absoluto de moradores que apresentaram síndrome gripal em maio. Apenas os dois estados mais populosos do país, São Paulo e Minas Gerais, apresentaram volumes de gripados mais robustos. Em São Paulo, a Pnad detectou 5,195 milhões de habitantes gripados e em Minas, 2,353 milhões. Em termos proporcionais, o Pará viu 21,3% de seus moradores adoecerem e só perdeu para o Amapá, onde 26,6% da população apresentaram algum dos sintomas anteriormente descritos.

Para aproximar o cenário ainda mais da Covid, o IBGE perguntou aos entrevistados se eles apresentaram mais de um sintoma gripal, como os clássicos da Covid perda de cheiro ou de sabor; ou tosse e febre e dificuldade para respirar; ou tosse e febre e dor no peito. Em maio, o Pará foi campeão disparado de pessoas com sintomas conjugados: 875 mil. Em segundo lugar, o estado de São Paulo reportou 515 mil cidadãos nessa condição. Ceará (434 mil), Maranhão (396 mil), Amazonas (356 mil) e Rio de Janeiro (354 mil) vêm em seguida. Mato Grosso do Sul teve o menor volume de pessoas que reportaram mais de um sintoma, apenas 9.000.

17 vezes os números oficiais

Entre os 875 mil paraenses que apresentaram sintomas mais associados à Covid, 262 mil foram parar na emergência dos hospitais. Guardadas as devidas proporções com os números oficiais, os dados refletem a realidade da pandemia em que o estado é um dos mais castigados do país. Oficialmente, entretanto, a Secretaria de Estado de Saúde do Pará (Sespa) registrou 52.300 novos casos de Covid em maio. Na prática, se a pesquisa do IBGE estiver correta, o número de infectados pode ser 17 vezes maior que os números oficiais.

Nas contas dos governos do estado e municipais, o Pará tem hoje cerca de 95 mil casos confirmados de Covid-19 e computa mais de 4.700 óbitos. Em três meses de pandemia, o Blog calcula que o coronavírus já sepultou 11% dos paraenses que habitualmente morrem por ano.

Publicidade