Parauapebas

Número de mortes no trânsito em Parauapebas cai 46,1% no primeiro semestre de 2013

De acordo com os dados da Divisão de Controle, Análise e Estatística (Dicaest) do Departamento Municipal de Trânsito e Transporte (DMTT), o número de mortes no trânsito caiu em Parauapebas …

imageDe acordo com os dados da Divisão de Controle, Análise e Estatística (Dicaest) do Departamento Municipal de Trânsito e Transporte (DMTT), o número de mortes no trânsito caiu em Parauapebas 46,1% de janeiro a julho deste ano, em comparação ao mesmo período do ano passado, refletindo positivamente as ações realizadas pelo DMTT.

Nesse mesmo período, o número total de condutores envolvidos em acidentes caiu 1,2%. Esses dados são ainda mais positivos quando levada em consideração a faixa etária de 31 a 40 anos de idade, cujo número de condutores envolvidos em acidente caiu 11%.

Já os jovens, condutores que se enquadram na faixa etária de 19 a 30 anos, continuam sendo o público que mais se envolve em acidentes de trânsito. Neste caso, dados mostram que houve um crescimento de 8,7% nas ocorrências nessa faixa etária, entre os anos 2012 e 2013.

Estatísticas facilitam atuação do DMTT

Criada pelo DMTT em junho deste ano, a Dicaest tem como objetivo melhor entender a dinâmica do trânsito de Parauapebas e levantar os pontos com necessidade de maior atuação do órgão.

A partir dos relatórios emitidos pelo sistema do qual dispõe a divisão, é possível obter diversas informações, como o número de acidentes por faixa etária, os pontos críticos da cidade com maior número de ocorrências e dessa forma direcionar a atuação do departamento.

“Com esses dados, é possível realizar estudos e pesquisas com o fim de analisar os fatores que geram condições aos acidentes de trânsito”, afirma Syrlei Laurantino, responsável pela Dicaest.

De acordo com os registros do DMTT, os bairros Da Paz, Cidade-Nova e Rio Verde estão entre as localidades com maior índice de acidentes, e por esse motivo recebem fiscalização intensificada.

Os relatórios emitidos pelo sistema são compartilhados com os demais setores do órgão de trânsito do município e publicados mensalmente no portal da Prefeitura de Parauapebas, aqui.

Fonte: ASCOM PMP

7 comentários em “Número de mortes no trânsito em Parauapebas cai 46,1% no primeiro semestre de 2013

  1. Josias Gomes Responder

    Acredito nas pessoas que me antecederam nestes comentários. Imagino haver coerência no que dizem, sobretudo por sermos habitantes desse município. Outrossim, convido-vos a todos para participardes da programação SENAI CASA ABERTA, onde estaremos ministrando vários cursos, inclusive, a atualização para a instrumentação de reeducação no transito (DIREÇÃO DEFENSIVA) palestras gratuitas que iniciarão no próximo dia 17/10/2013 á 19/10/2013.
    Dessa forma, fico-lhes grato por sua atenção, lembrando que: Ao invés de somente criticar, é necessário que acreditemos em mudanças tanto das estatísticas quantitativas, quanto das qualitativas, e essas diferenciações de qualificação começa por cada um de nós que fazemos o transito de nosso abençoado município de Parauapebas.
    Um forte abraço!
    Prof. Josias Gomes (Instrutor Senai-PA)

  2. Castro Responder

    Sim, mas cadê o quantitativo do período para podermos ver melhor essa “estatísitica”? Esses números percentuais são muitos evasívos e não nos diz muito.

  3. anônimo Responder

    Nessa estatística não inclui as mortes na PA 275 e PA 160?
    Porque só nessas duas estradas morreu gente como nunca se viu antes!!

  4. anonimo Responder

    Essa estatística é pra Ingles ver! a realidade de parauapebas é outra, e quem vive aqui sabe. O povo não é besta não!!!

  5. Anônimo Responder

    É muita sacanagem falar um negocio desses, a cidade esta crescendo em uma velocidade que até os melhores e mais honestos governos teria como controlar. (se é que existe isso, “governo honesto”.) Minha estatística deve ser mais precisa que a do DMTT, ano passado não presenciei nenhum acidente na PA160 nós cruzamentos entre os bairros parque dos carajas e cidade jardim, (ouvi falar, mas não vi) este ano já fiquei sabendo de vários e presenciei 3. O trafego de carros esta muito maior, a imprudência e a falta de educação esta muita clara, fiscalização não tem nenhuma, como pode uma magica dessas DMTT, me ajuda ai vai…

  6. Geilson Lima Responder

    E por onde anda o DMTT? Ontem na FAP tava a maior zona, não se viu o rastro de nenhum deles por lá e nem da PM. Sei que perderam um colega de trabalho, mas não significa que todos vão simplesmente parar e deixar a cidade a mercê!!

  7. Cauan Pirí Responder

    Pura demagogia e hipocrisia! O que mais vemos nessa cidade é um bando de vagabundos ingerindo bebidas alcoólicas e dirigindo como imbecis. Basta observar próximo aos botecos espalhados pela cidade e lá estão carros e motos dos pilantras, digo pilantras porque quem bebe e dirige é nada mais nada menos que um potencial assassino. DMTT não tem moral para gerenciar essas barbáries, tão pouco divulgar notas.

Deixe seu comentário