Moto com rastreador informa endereço de assaltantes à Polícia Militar

Após comunicada do roubo de uma motocicleta, a PM seguiu a localização indicada pelo GPS e chegou ao paradeiro dos bandidos. Foi uma correria geral. Um dos acusados fugiu algemado
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Estão presos desde o final da manhã de ontem, domingo (28), na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, em Parauapebas, Taylon Mayson Batista Martins e Tharles Lucas Ribeiro Martins. Eles são acusados de envolvimento no roubo de uma motocicleta e de um telefone celular. Os dois foram capturados em uma casa na Rua Macaé, Bairro Popular II.

Tudo começou quando Ana Cecília Lima Teixeira dos Santos, teve sua motocicleta, uma Honda Biz, cinza, placa QEB-6904, tomada por um assaltante, no Bairro Popular I. O ladrão, porém, não contava que o veículo fosse equipada com rastreador por GPS. A Polícia Militar foi chamada e localizou o paradeiro da moto.

Quando a PM chegou ao local indicado pelo rastreador, um homem estava saindo montado no veículo. Ao avistar o carro policial, ele abandonou a moto e fugiu em desabalada carreira. Dentro da casa havia mais pessoas que, quando a PM entrou no imóvel, também trataram de dar no pé, imediatamente. Uma delas, não identificada, chegou a disparar tiros contra os policiais, que revidaram à altura. O agressor, entretanto, não foi atingido e também escapou.   

Entre os que não conseguiram correr estava o indivíduo identificado como Wanderson, que foi algemado, mas, mesmo assim, conseguiu meter o pé no mundo também e sumiu dos olhos da PM. Já Taylon Martins não teve a mesma sorte e foi algemado, junto com Tharles Lucas Martins. Na casa estavam também duas adolescentes de 16 e 17 anos. No local foi encontrada a carabina CTP, ponto 40, número 42949, de propriedade da Polícia Militar do Pará, usada minutos antes para atirar contra a guarnição.    

No momento em que estavam no imóvel, um celular tocou e um dos policiais atendeu. Do outro lado um homem se identificou como Marco Antônio Rufino da Silva, dono do aparelho, relatando que o celular havia sido levado naquele mesmo dia, por assaltantes.

Na Delegacia de Polícia, para onde todos foram conduzidos, Ana Cecília dos Santos, por uma foto, reconheceu Wanderson como a pessoa que a assaltou e levou a moto. Também na DP, Marco Antônio da Silva também reconheceu Wanderson, pela foto, e também Taylon Mayson, como os assaltantes que tiraram o celular dele, sob ameaça de arma de fogo. Tharles Lucas não foi reconhecido por nenhuma das vítimas. Ambos e as menores aguardam agora uma decisão da Justiça.

(Caetano Silva)

Publicidade