Médicos voluntários dão consulta gratuita a pacientes suspeitos da covid-19 em plataforma na internet

Projeto Missão Covid reúne profissionais voluntários para orientar pacientes sobre dúvidas a respeito do coronavírus. As consultas são totalmente gratuitas
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

“Nosso projeto vem de encontro ao momento de pandemia que a gente vive, basicamente um dos pilares é prestar assistência, tirar dúvidas sobre o coronavírus, e caso a pessoa tenha sintomas de covid-19, ela pode entrar na nossa plataforma para ser atendida por um médico voluntário”, explica Kanashiro.

Em atividade desde o dia 23 de março, a plataforma sem fins lucrativos já conta com quase 400 médicos cadastrados e 4 mil pacientes, entre já atendidos e agendados, inclusive brasileiros no exterior. “Já atendemos brasileiros na Austrália, Estados Unidos e Europa. Até o momento atendemos brasileiros em 64 países”, diz Rubio. “Todo trabalho é feito de forma voluntária e tem havido grande procura por parte dos médicos”, ressalta o médico.

Atendimento pelo whatsapp

Até o momento, 10,8% dos pacientes atendidos foram encaminhados para unidades de saúde. Destes, 41,9% tinham a hipótese diagnóstica da covid-19. O médico esclarece que se o paciente apresentar sinais e sintomas que indiquem avaliação médica presencial, ele será orientado a ir ao hospital.

“Nós queremos e vamos entregar assistência e impactar a saúde do nosso país nesse momento tão importante”, acredita Dr. º Rubio. “Estamos utilizando um projeto de inovação para diminuir o impacto no sistema de saúde brasileiro. Temos uma grande missão voluntária e humanitária de ajudar a população brasileira, por isso focamos todo o nosso time no desenvolvimento dessa plataforma dos últimos dias”, avalia Cristiano Kanashiro, CEO da GO.K., que acredita que o projeto continuará mesmo após o pico da crise.

A orientação médica por telemedicina já possui respaldo legal. No dia 19 de março, o Conselho Federal de Medicina (CFM) encaminhou um ofício ao Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, em que informa sua decisão de reconhecer a possibilidade do uso da telemedicina no País, além do que está estabelecido na Resolução CFM nº 1.643/2002, que continua em vigor. Dia 31, o Senado aprovou a PL 696/20, que libera o uso da telemedicina durante a pandemia – o texto segue para sanção presidencial. A decisão vale em caráter excepcional e enquanto durar o combate à epidemia de COVID-19.

Sobre o Missão Covid

Criada pelo cardiologista Leandro Rubio e o oncologista Raphael Brandão, a plataforma Missão Covid-19 conecta médicos voluntários a pacientes que apresentam sintomas leves da doença e que se tornam casos suspeitos. A ideia é prestar um primeiro atendimento aos suspeitos de estarem com o novo coronavírus e distinguir quem deve de fato procurar um hospital ou quem deve permanecer dentro de casa. As consultas são totalmente gratuitas e o usuário recebe as orientações necessárias de como lidar com os sintomas em primeiro momento. Caso a pessoa relate febre alta por mais de 48 horas ou falta de ar, é imediatamente orientada a buscar uma unidade de saúde mais próxima.

Como acessa e fazer sua consulta?


A Missão Covid está recrutando médicos: “Seja voluntário, seja um herói missionário nessa grande causa humanitária.”

A plataforma tem um hotpage que o internauta pode conferir as principais dúvidas da população sobre a doença e o que fazer.

O que é o Corona Vírus?

Os coronavírus são uma grande família de vírus que podem causar doenças em animais ou humanos. Em humanos, sabe-se que vários coronavírus causam infecções respiratórias que variam do resfriado comum a doenças mais graves. O coronavírus descoberto mais recentemente causa a doença COVID-19.

Devo me importar com isso?

A doença devido à infecção PELO NOVO CORONAVÍRUS é geralmente leve, especialmente em crianças e adultos jovens. No entanto, pode causar doenças graves: cerca de 1 em cada 5 pessoas precisam de cuidados hospitalares. Portanto, é bastante COMUM que as pessoas se preocupem com o impacto do surto de COVID-19, entre elas e seus entes queridos.

Transmissão?

A doença pode se espalhar entre pessoas, através de pequenas gotículas do nariz ou da boca que se espalham quando uma pessoa com COVID-19 tosse, espirra ou fala. Essas gotículas podem entrar em contato diretamente com o olho, nariz ou boca de outra pessoa ou se acumulam em objetos e superfícies. Quando alguém toca nesses objetos ou superfícies, podem se infectar ao tocar nos olhos, nariz ou boca. É por isso que é importante ficar a mais de 1 metro (3 pés) de uma pessoa doente.

Como Prevenir?

Lavagem das mãos com sabão, sabonetes várias vezes ao dia.

Não levar as mãos ao rosto, olhos, boca e nariz.

Usar álcool gel (se possível) ao pegar um elevador, ir ao mercado ou farmácia.

Isolamento Social: Manter distância de pessoas infectadas ou possivelmente infectadas de 1 a 2 metros, se possível.

Se estiver resfriado, evite manusear coisas em casa, fique de máscara, de preferência em local mais isolado (você pode infectar pessoas ao seu redor), não saia de casa e aguarde 14 dias para voltar às suas atividades habituais em casa.

Observar se seu quadro ‘gripal’ vier associado a febre persistente (mais de 48 horas), tosse persistente e desconforto/falta de ar.

Sinais e Sintomas

Os principais sintomas conhecidos até o momento são:

  • Febre (acima de 37,8ºC)
  • Tosse seca
  • Dificuldade para respirar
  • Coriza e dor de garganta podem ocorrer

Sinais de gravidade?

Os sintomas geralmente se parecem muito com uma gripe normal, porém pode haver sintomas graves como falta de ar e febre por mais de 48 horas (acima de 37.8ºC) e ocorrer o óbito.

Quem deve usar a máscara?

Use uma máscara cirúrgica apenas se estiver com sintomas de COVID-19 ou cuidando de alguém que possa ter COVID-19. As máscaras caseiras estão indicadas para toda a população, segundo a Organização Mundial de Saúde e o Ministério da Saúde. Lembrando que a mascara caseira não substitui a higiene das mãos e o isolamento social e na terça-feira (19) a Câmara dos Deputados aprovou uma Lei (????) que obriga todos os brasileiros a usar a máscara quando saírem de casa, sob pena de multa individual no valor de R$ 300,00.

Tratamento

Ainda não existe vacina e tratamento para COVID-19, mas muitos médicos têm utilizado uma combinação de remédios que são ministrados logo no início dos sintomas que vem obtendo resultados animadores, esvaziando evitando a internação nos hospitais.

Casos leves podem ser acompanhados em domicilio, por médicos a distância, utilizando medicamentos sintomáticos para febre, coriza, tosse, etc.

Casos moderados e graves são acompanhados em hospitais e UTI.

Medicamentos como azitromicina e hidroxicloroquina mostraram-se promissores na terapêutica desses pacientes mais graves, porem ainda está sendo utilizado em caráter experimental, não devendo ser utilizado, até o momento como preventivo ou profilático para casos leves e alguns moderados. 

Reportagem: Val-André Mutran – Correspondente do Blog do Zé Dudu em Brasília.

Publicidade