Marabá: Violência doméstica leva homicida à cadeia

Preso por agredir uma mulher, o acusado já era procurado por um bárbaro assassinato ocorrido em Tucuruí. Na ocasião, a vítima foi queimada e esquartejada.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Por volta das 20h de ontem (28), policiais militares fizeram a apresentação Vitor Santiago da Silva Alencar, na 21ª Seccional Urbana de Polícia Civil de Marabá. Ele fora preso em flagrante por violência doméstica. Mas na delegacia, descobriu-se que se tratava de um homicida foragido de Tucuruí.

Inicialmente, o acusado ainda tentou enganar as autoridades policial apresentando-se com o nome de Eduardo Amorim Costa, mas, após diversas pesquisas nos sistemas da Polícia Civil, não foi localizado o nome dado por Vitor, momento em que acionado o papiloscopista de plantão, que após as devidas pesquisas, descobriu que se tratava de Vitor Santiago e que este tinha um mandado de prisão preventiva por homicídio.

E não foi um assassinato qualquer. Trata-se de um caso ocorrido no dia 5 de abril, tendo como vítima uma adolescente, 17 anos, que fora esquartejada no bairro Beira Rio, em Tucuruí.

Na época, a investigação apontou que se tratava de uma disputa entre facções criminosas e que o crime foi executado por sete pessoas, entre eles três adolescentes. Rodrigo Ramos dos Passos (conhecido pelo apelido de Cérebro) foi o primeiro a ser preso e junto com ele três adolescentes, sendo um de 15 e dois de 17anos, foram apreendidos.

Depois, outro envolvido, Rodrigo Trindade de Freitas, o “Barcarena”, 20 anos, se entregou lá mesmo em Tucuruí. Outro acusado, Deivison Santos da Silva, o “Palhaço”, de 24 anos idade, foi em Cametá, região nordeste do Pará. Faltava apenas a prisão de Vitor, que aconteceu agora em Marabá.

Publicidade