Marabá tem pelo menos 23 mil com anticorpos para coronavírus, diz pesquisa

Junto com Breves, Castanhal e Belém, município pode ser um dos primeiros do país a se livrar da Covid-19, já que número teórico de infectados é alto. Mas nem de longe é possível relaxar nas medidas de distanciamento social porque maior parte da população local ainda não pegou.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

De um total de 250 pessoas testadas aleatoriamente entre os dia 14 e 20 deste mês, pelo menos 18 pessoas tiveram resultado positivo para Covid-19 em Marabá, o quarto mais populoso município paraense. Essas pessoas sequer imaginavam que já tivessem contato com o novo coronavírus porque estavam assintomáticas no momento da pesquisa. É o que revela a etapa inicial do estudo Epicovid-19, conduzido pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e realizado em campo pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope).

Em 14 de maio, de acordo com boletim da Prefeitura de Marabá, já tinham sido confirmados 287 casos de Covid-19. Mas, pelas contas da pesquisa da UFPel, que percorreu seis municípios paraenses, naquele dia o município já teria 3.450 infectados, pelo menos.

Se o recorte da Epicovid-19 estiver correto ― em que em Marabá há uma pessoa com anticorpos para Covid-19 em cada grupo de 12 moradores ―, o principal município do sudeste do Pará teria atualmente no mínimo 23.600 moradores com resultado positivo de anticorpos para o coronavírus entre seus 285 mil habitantes.

Parece surreal, mas, por outro lado, esse alto grau de infecção detectado na pesquisa poderá levar Marabá a ser um dos primeiros municípios do país a estar livre do fantasma da Covid-19, devido à “imunidade de rebanho”, que é quando um elevado número de pessoas testa positivo para a doença e diminui a margem para novos contágios e, por conseguinte, para novas ondas de infecção.

Apesar disso, os dados ― que não são conclusivos ― precisam ser analisados com cautela. Isso porque, apesar do alto grau de anticorpos circulando em Marabá, ainda há um número muito maior de pessoas que não tiveram contato com o vírus e que, por isso, podem se tornar alvo dele. Muitas, como a maioria da população marabaense, serão contagiadas pelo coronavírus e não apresentarão sintomas. Outras, entretanto, poderão desenvolver quadros graves de Covid-19.

Demais municípios do Pará

Os municípios do Pará estão no topo nacional dos anticorpos para a Covid-19. O estado deve ser o primeiro do Brasil a se livrar do coronavírus, porém à custa de muitos óbitos e muita dor às famílias. Nesta terça-feira (26), já eram 2.500 os mortos pela Covid-19. Em Breves, principal município da ilha do Marajó, um em cada quatro moradores já teve contato com o coronavírus, a maior taxa do país.

Na capital paraense, Belém, está a maior taxa de infecção por Covid-19 entre as capitais brasileiras. A cada grupo de seis ou sete moradores, pelo menos um belenense teve Covid, mesmo sem saber. É mais que a proporção de Manaus, onde um em cada oito pessoas testou positivo, segundo a pesquisa da UFPel.

Castanhal tem taxa de infecção similar à de Belém. Na cidade modelo, a cada seis moradores, um tem anticorpos para Covid. Já em Altamira e em Redenção, embora com casos confirmados no período da pesquisa, registrou taxa de infecção inferior a 1%.